22/06/2020

Somos programados para fazer o bem, independentemente da motivação

Redação do Diário da Saúde
Somos programados para fazer o bem
Contrariando a tradição científica, vários estudos mais recentes têm demonstrado que a generosidade vence o egoísmo e a competição na evolução.
[Imagem: Domínio Público/Pixabay]

Programados para o bem

As pessoas querem se ajudar mutuamente, mesmo quando isso lhes custa algo e mesmo quando as motivações para ajudar o outro se contraponham.

Sociólogos da Universidade Estadual de Ohio (EUA) descobriram que as pessoas preferem ser generosas com os outros na esmagadora maioria das vezes - até com estranhos - mesmo quando parece que uma motivação para ajudar está sendo anulada por outra motivação contrária.

Embora as motivações para ajudar os outros já tenham sido estudadas separadamente ou uma contra a outra, a equipe tentou pela primeira vez cruzar todas as motivações que tipicamente levam as pessoas a serem generosas umas com as outras.

"Queríamos fazer um estudo exaustivo para ver quais seriam os efeitos dessas motivações quando combinadas - porque elas são combinadas no mundo real, onde as pessoas estão fazendo escolhas sobre quão generoso ou gentil ser um com o outro," explicou o professor David Melamed.

Motivos para ser bom com os outros

Os psicólogos tipicamente aceitam que existem quatro motivadores para as pessoas se comportarem de uma maneira que beneficia outras pessoas: Um: O destinatário de uma gentileza está propenso a fazer em troca algo de bom pelo doador; Segundo: Uma pessoa é motivada a fazer algo de bom para alguém que considerou generoso com uma terceira pessoa; Terceiro: uma pessoa tem maior probabilidade de fazer o bem na presença de pessoas em sua rede social que possam recompensar sua generosidade; E, quatro: uma pessoa tem maior probabilidade de "pagar adiantado" a outra pessoa se alguém fez algo de bom por ela.

Todos esses quatro motivadores já foram estudados isolados um do outro e alguns foram estudados em pares. Mas, até este novo experimento, os pesquisadores não haviam conduzido um estudo abrangente sobre como os quatro motivadores poderiam se afetar mutuamente no mundo real, onde a motivação de ser gentil com os outros poderia ser influenciada por vários fatores.

"E esses experimentos mostram que todas as motivações funcionam. Se você deseja maximizar o comportamento pró-social, isso é realmente algo ótimo de se ver," disse Melamed.

Programados para o bem

O pesquisador afirma que, antes do experimento, ele achava que as motivações para a bondade poderiam se sobrepor e se anular.

Por exemplo, uma pessoa pode estar menos propensa a recompensar indiretamente a generosidade de outra pessoa em relação a uma terceira pessoa quando ela se concentrar em devolver diretamente a ajuda que recebeu.

Mas não foi isso o que aconteceu.

"As pessoas têm um viés próprio," disse Melamed. "Se você faz algo de bom para mim, eu posso ponderar mais do que se eu ver você fazendo algo de bom para outra pessoa. Mas nós descobrimos que todos os motivadores ainda aparecem como preditores de quanto uma pessoa está disposta a dar a outra pessoa, independentemente de como os diferentes motivadores são combinados. "

Cooperar com os outros pode ajudá-lo a se tornar um líder

Checagem com artigo científico:

Artigo: The robustness of reciprocity: Experimental evidence that each form of reciprocity is robust to the presence of other forms of reciprocity
Autores: David Melamed, Brent Simpson, Jered Abernathy
Publicação: Science Advances
Vol.: 6, no. 23, eaba0504
DOI: 10.1126/sciadv.aba0504

Ver mais notícias sobre os temas:

Sentimentos

Felicidade

Relacionamentos

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.