08/02/2022

Vacina contra zika mostra resultados promissores em estudos pré-clínicos

Redação do Diário da Saúde
Vacina contra zika mostra resultados promissores em estudos pré-clínicos
Frasco da vacina experimental contra o vírus zika (ZPIV).
[Imagem: WRAIR]

Vacina contra zika

Uma candidata a vacina contra o vírus zika mostrou-se eficaz na prevenção da transmissão do vírus da mãe para o feto nos primeiros estudos pré-clínicos em animais.

A vacina, que usa um vírus purificado e inativado, foi desenvolvida usando a mesma tecnologia usada para desenvolver uma vacina contra a encefalite japonesa. Ela já foi testada em animais não prenhes, mostrando que efetivamente elimina o vírus do sangue. Além disso, nos ensaios humanos de Fase 1, demonstrou-se segura e capaz de induzir uma resposta imune protetora.

"A vacina demonstrou ser segura para humanas não grávidas, mas é claro que precisamos saber se ela é segura e eficaz para as pessoas em maior risco: As mulheres grávidas e seus fetos," disse a professora In-Jeong Kim, do Instituto Trudeau, nos EUA. "Nossos estudos de prova de conceito mostram resultados muito promissores de que a vacina administrada antes da gravidez fornecerá altos níveis de proteção para mães e bebês".

Contudo, fazer testes rigorosos para provar que a vacina protege as mulheres e seus bebês contra infecções e má-formações graves é uma possibilidade altamente restrita por razões éticas e de segurança: Além de nenhuma autoridade de saúde dar o aval para uma pesquisa desse tipo, não haveriam voluntárias para participar do experimento.

É aí que entram os modelos animais.

Os pesquisadores avaliaram a vacina em camundongos prenhes e saguis. Os experimentos com as camundongos fêmeas demonstraram que a vacina preveniu cerca de 80% das má-formação fetais, e anticorpos capazes de neutralizar o vírus foram detectados em amostras de sangue fetal oito dias após a infecção.

Quatro saguis fêmeas também foram imunizadas com a vacina ZPIV. Depois que engravidaram, elas foram expostas ao vírus zika: Apenas 1 de 12 descendentes testou positivo para o vírus zika, demonstrando mais de 90% de eficácia.

Os pesquisadores estão testando agora o que acontece quando a vacina é administrada durante a gravidez das saguis.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Efficacy of an inactivated Zika vaccine against virus infection during pregnancy in mice and marmosets.
Autores: In-Jeong Kim, Paula A. Lanthier, Madeline J. Clark, Rafael A. De La Barrera, Michael P. Tighe, Frank M. Szaba, Kelsey L. Travis, Timothy C. Low-Beer, Tres S. Cookenham, Kathleen G. Lanzer, Derek T. Bernacki, Lawrence L. Johnson, Amanda A. Schneck, Corinna N. Ross, Suzette D. Tardif, Donna Layne-Colon, Stephanie D. Mdaki, Edward J. Dick Jr, Colin Chuba, Olga Gonzalez, Kathleen M. Brasky, John Dutton, Julienne N. Rutherford, Lark L. Coffey, Anil Singapuri, Claudia Sanchez San Martin, Charles Y. Chiu, Stephen J. Thomas, Kayvon Modjarrad, Jean L. Patterson, Marcia A. Blackman
Publicação: npj Vaccines
DOI: 10.1038/s41541-021-00426-0
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Vacinas

Vírus

Gravidez

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2022 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.