As pessoas - não o dinheiro - são a chave para melhorar as escolas

Por que as pessoas - não o dinheiro - são a chave para melhorar as escolas
Não é só dinheiro que garante escolas de qualidade: Pessoas e relacionamentos garantem escolas boas.
[Imagem: CC0 Public Domain/Pixabay]

Capital social

Fortes relações entre professores, pais e alunos nas escolas têm mais impacto na melhoria da aprendizagem dos alunos do que um maior volume de recursos financeiros.

"Quando nós falamos sobre o porquê de algumas escolas terem um desempenho melhor do que outras, as diferenças na quantidade de dinheiro que gastam são consideradas uma explicação. Nós constatamos que o dinheiro é certamente importante. Mas esse estudo também mostra que o capital social merece um papel em nosso pensamento sobre maneiras custo-efetivas para apoiar os estudantes, especialmente os mais vulneráveis," disse o professor Roger Goddard, da Universidade do Estado de Ohio (EUA).

O capital social teve um efeito de 3 a 5 vezes maior do que o capital financeiro nas pontuações de leitura e matemática dos estudantes.

O capital social é o nome dado à rede de relacionamentos entre os funcionários, os professores, os pais e a comunidade onde a escola está instalada, o que cria confiança e normas que otimizam o desempenho acadêmico.

Capital social vence capital financeiro

O estudo envolveu 5.003 estudantes e seus professores em 78 escolas públicas selecionadas aleatoriamente no estado de Michigan (EUA) - a amostra é representativa da demografia de todas as escolas de ensino fundamental no estado.

Os professores preencheram um questionário que mediu os níveis de capital social em suas escolas, avaliando o quanto concordavam com declarações do tipo "O envolvimento dos pais dá suporte ao aprendizado", "Os professores desta escola confiam em seus alunos" e "O envolvimento da comunidade facilita o aprendizado".

Os resultados mostraram que, em média, as escolas que gastaram mais dinheiro tiveram melhores resultados nos testes do que aquelas que gastaram menos. Mas o efeito do capital social foi 3 vezes maior do que o efeito do capital financeiro nos resultados de matemática e 5 vezes maior nas notas de leitura.

"O capital social não apenas é mais importante para a aprendizagem do que os gastos com instrução, mas também mais importante do que a pobreza, composição étnica ou realização anterior das escolas," disse Goddard.

A pesquisa, que Goddard realizou juntamente com Serena Salloum (Universidade Estadual Ball), e Dan Berebitsky (Universidade Metodista do Sul), foi publicada no Journal of Education.


Ver mais notícias sobre os temas:

Educação

Relacionamentos

Ética

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2018 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.