20/01/2020

Você cria suas próprias informações falsas

Redação do Diário da Saúde
Você cria suas próprias informações falsas, dizem pesquisadores
Os resultados deste experimento são compatíveis com outros estudos, que mostraram que não demora muito para as pessoas acreditarem nas próprias mentiras e que as notícias falsas produzem falsas memórias do fato falso.
[Imagem: CC0 Public Domain/Pixabay]

Criando desinformação

Juntamente com veículos de notícias partidários e blogs políticos, há uma outra fonte surpreendente de desinformação sobre tópicos controversos - cada um de nós.

Em um experimento intrigante, pessoas que tomaram conhecimento de estatísticas precisas sobre um assunto polêmico tenderam a se lembrar erroneamente desses números mais tarde, para que eles se ajustassem às crenças comuns.

Por exemplo, quando os voluntários viram que o número de imigrantes mexicanos nos Estados Unidos declinou recentemente - o que é verdade, mas vai contra a crença de muitas pessoas -, eles tenderam a se lembrar do contrário.

E quando essas pessoas repassaram essa desinformação que elas próprias criaram, os números se afastaram cada vez mais da verdade.

"As pessoas podem gerar suas próprias informações erradas. Nem tudo vem de fontes externas," disse o professor Jason Coronel, da Universidade Estadual de Ohio, um dos idealizados do experimento.

Criando notícias falsas sem querer

As pessoas podem não estar fazendo isso de propósito, alega o pesquisador, já que seus próprios preconceitos podem desviá-las da verdade e explicar o viés. "E o problema se torna maior quando elas compartilham sua desinformação gerada por si mesmos com os outros," afirmou.

Assim, os resultados sugerem que não devemos nos preocupar apenas com as informações erradas que encontramos no mundo exterior ou com as notícias falsas que recebemos de nossos parentes e amigos mais velhos.

"Precisamos perceber que fontes internas de desinformação podem ser tão significativas quanto, ou mais significativas, do que as fontes externas," disse a pesquisadora Shannon Poulsen, membro da equipe. "Vivemos com nossos preconceitos o dia todo, mas só entramos em contato com informações falsas ocasionalmente".

Checagem com artigo científico:

Artigo: Investigating the generation and spread of numerical misinformation: A combined eye movement monitoring and social transmission approach
Autores: Jason C. Coronel, Shannon Poulsen, Matthew D. Sweitzer
Publicação: Human Communication Research
Vol.: hqz012
DOI: 10.1093/hcr/hqz012

Ver mais notícias sobre os temas:

Ética

Comportamento

Relacionamentos

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.