25/02/2022

Cérebro de pessoas inteligentes pega no tranco mais rápido

Redação do Diário da Saúde

Pegando no tranco

Você está tirando uma soneca no sofá quando, de repente, seu filho aparece e pede para você ajudá-lo com a lição de matemática.

Essa mudança repentina, do estado de repouso para o modo de trabalho, é bastante desafiadora para o cérebro.

Com base no tipo de tarefa que se apresenta, uma rede neural específica precisa ser ativada. Na verdade, dependendo da complexidade da tarefa, diferentes redes podem ter que interagir. Tudo isso requer energia e força.

Um experimento envolvendo situações desse tipo mostrou que, quanto maior a pontuação de inteligência de uma pessoa, mais fácil é para ela alternar entre o estado de repouso e os diferentes estados de tarefa. Essa habilidade é baseada em certas redes neuronais e suas estruturas de comunicação.

"A arquitetura funcional da rede cerebral de indivíduos com pontuações mais altas em testes de inteligência é, durante o estado de repouso, mais semelhante à arquitetura exigida para várias tarefas cognitivas," disse a Dra. Kirsten Hilger, da Universidade de Würzburg (Alemanha).

Redes cerebrais funcionais e estruturais

O principal interesse dos pesquisadores estava na relação entre as redes cerebrais funcionais e estruturais e seu significado para as diferenças individuais na inteligência.

Para explicar a diferença entre redes cerebrais funcionais e estruturais, a neurocientista usa uma imagem simples: Se você pensar na troca de informações entre diferentes regiões do cérebro como o transporte de mercadorias de uma cidade para outra, a rodovia representaria as conexões cerebrais estruturais - quanto melhor a infraestrutura rodoviária, mais rápido o tráfego pode fluir; em contraste, o tráfego corresponderia à conexão funcional do cérebro. Foram essas conexões funcionais que foram objeto do presente estudo.

Hilger e sua equipe analisaram os processos em todo o cérebro e em diferentes redes cerebrais funcionais que são conhecidas por estarem associadas a funções cerebrais específicas.

Rede cerebral multitarefa

Os resultados indicam que as redes funcionais de pessoas com pontuações de inteligência mais altas requerem menos ajustes ao alternar entre diferentes estados cognitivos - sua arquitetura de rede exige menos reconfiguração do estado de repouso para o modo de trabalho. Ou, falando figurativamente, seu tráfego flui de uma forma que torna esses ajustes menos complexos, não causando congestionamentos.

Segundo a equipe, esse resultado permite concluir que a inteligência é uma propriedade de uma "rede cerebral multitarefa" amplamente distribuída ou, em outras palavras: "A inteligência é um fenômeno de todo o cérebro se adaptando a diferentes requisitos," disse Hilger.

Assim, quanto mais inteligente um indivíduo, mais adequada é a arquitetura de rede de seu cérebro para realizar várias tarefas cognitivas.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Multitask Brain Network Reconfiguration Is Inversely Associated with Human Intelligence
Autores: Jonas A Thiele, Joshua Faskowitz, Olaf Sporns, Kirsten Hilger
Publicação: Cerebral Cortex
Vol.: bhab473
DOI: 10.1093/cercor/bhab473
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Cérebro

Mente

Neurociências

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2022 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.