24/09/2021

Enquadre o estresse e tire proveito dele

Redação do Diário da Saúde
Enquadre o estresse e tire proveito dele
Reformular a resposta ao estresse pode fazer uma grande diferença para a saúde mental, o bem-estar geral e o sucesso de uma pessoa.
[Imagem: Julia Joshpe/University of Rochester]

Estresse do bem

Palmas das mãos suadas durante uma entrevista de emprego; batimento cardíaco acelerado indo para uma apresentação; dores de estômago antes do exame final.

Muitos de nós experimentamos uma resposta clássica ao estresse em circunstâncias novas, incomuns ou de alta pressão.

Mas reavaliar nossa percepção do estresse pode fazer uma grande diferença para nossa saúde mental, bem-estar geral e nosso sucesso profissional ou acadêmico.

Jeremy Jamieson e seus colegas da Universidade de Rochester (EUA) treinaram adolescentes e jovens em uma faculdade comunitária para tratar sua resposta ao estresse. O objetivo do treinamento era passar a ver o estresse como uma ferramenta, em vez de um obstáculo.

Para reformular sua compreensão do estresse, os alunos fizeram um exercício padronizado de leitura e escrita que os ensinou que suas respostas ao estresse tinham uma função em contextos de desempenho que se aplicavam diretamente a eles, como fazer uma prova.

A equipe descobriu que, além de reduzir a ansiedade dos alunos, a redefinição da mentalidade para o que se poderia chamar de um "bom estresse", ajudou os alunos a tirar notas mais altas nas provas, procrastinar menos, responder melhor aos desafios acadêmicos e até evitar trancar a matrícula nas disciplinas.

Ver o estresse com outros olhos

"O pensamento convencional sugere que o estresse é inerentemente ruim e deve sempre ser evitado. Isso às vezes pode ser equivocado, porque o estresse é uma característica normal e até definidora da vida moderna. Por exemplo, os alunos que se preparam para a primeira entrevista de emprego podem perceber seu coração acelerado e as palmas das mãos suando como sinais de que estão nervosos e prestes a 'explodir', quando, na verdade, a resposta ao estresse está ajudando a levar oxigênio para o cérebro e liberando hormônios que mobilizam energia.

"A reavaliação do estresse não visa eliminar ou atenuar o estresse. Ela não incentiva o relaxamento, mas, em vez disso, concentra-se na mudança do tipo de resposta ao estresse: Se acreditarmos que temos recursos suficientes para lidar com as demandas que nos são apresentadas - não importa se as demandas são altas -, se pensarmos que podemos lidar com elas, nosso corpo vai responder com uma resposta de desafio, o que significa que o estresse é visto como um desafio, em vez de uma ameaça.

"Ao longo da vida, as pessoas devem adquirir uma ampla e variada gama de habilidades sociais e intelectuais complicadas e, em seguida, aplicá-las para prosperar. Esse processo é inerentemente estressante, mas também é essencial para ser um membro produtivo da sociedade. Além disso, se as pessoas simplesmente se desligarem dos estressores com que se depararem, isso poderia colocá-las em séria desvantagem. Portanto, para que as pessoas prosperem na vida moderna e superem as ameaças à sobrevivência pessoal e global, elas devem encontrar uma maneira de abraçar e superar as demandas estressantes," disse Jamieson.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Reappraising stress arousal improves affective, neuroendocrine, and academic performance outcomes in community college classrooms.
Autores: Jeremy P. Jamieson, Alexandra E. Black, Libbey E. Pelaia, Hannah Gravelding, Jonathan Gordils, Harry T. Reis
Publicação: Journal of Experimental Psychology
DOI: 10.1037/xge0000893
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Comportamento

Concentração

Emoções

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.