14/06/2019

Seis dedos por mão dão habilidade e destreza incomparáveis

Redação do Diário da Saúde
Seis dedos por mão dão habilidade e destreza incomparáveis
Mão de seis dedos congênita com músculos adicionais para mover o dedo extra, que rende habilidades de manipulação aumentadas. Os músculos que controlam o dedo adicional (em verde) são distintos dos músculos do polegar (em vermelho).
[Imagem: Mehring et al. - 10.1038/s41467-019-10306-w]

Polidactilia

Um dedo congênito adicional traz vantagens motoras, algo que pode ser explorado para aumentar as capacidades físicas e a destreza mesmo das pessoas que têm "apenas" cinco dedos em cada mão.

A polidactilia é a condição de alguém nascer com mais de cinco dedos nas mãos ou nos pés.

Uma equipe internacional examinou agora pela primeira vez as habilidades motoras e as áreas sensório-motoras do cérebro em pessoas com polidactilia.

Os resultados mostram que um dedo extra pode estender significativamente as habilidades e capacidades de manipulação.

Com uma mão só

O dedo extra permite que as pessoas realizem movimentos e manipulações com uma só mão, cumprindo tarefas que as pessoas com cinco dedos precisam de duas mãos. As capacidades motoras aumentadas observadas nos sujeitos polidactílicos são possíveis graças a áreas dedicadas nas áreas sensório-motoras do cérebro, segundo o grupo de especialistas.

Os dedos extras são movidos pelos seus próprios músculos dedicados. Isso permite que as pessoas movam seus dedos extras o máximo possível, independentemente de todos os outros dedos.

"Apesar de o dedo extra aumentar o número de graus de liberdade que o cérebro tem que controlar, não encontramos desvantagens em relação a pessoas com cinco dedos. Em resumo, é espantoso que o cérebro tenha capacidade suficiente para fazer tudo sem sacrificar qualquer outro lugar. É exatamente o que os nossos voluntários fizeram," disse o professor Etienne Burdet, que trabalhou com colegas da Universidade de Freiburg (Alemanha), do Imperial College de Londres (Inglaterra), do Hospital Universitário de Lausanne e da EPFL (Suíça).

Membros robóticos

A equipe afirma que o estudo das mãos com polidactilia pode impulsionar o desenvolvimento de membros artificiais adicionais para expandir as habilidades motoras das pessoas.

Entre as possibilidades, os pesquisadores citam um braço extra para ajudar a trabalhar sozinho em um ambiente estreito ou para permitir que um cirurgião realize operações sem um assistente. Ou mãos robóticas e próteses capazes de dotar as pessoas de maior habilidade e destreza.

No entanto, os especialistas observam que "as extremidades adicionais [os dedos] foram treinadas nos participantes desde o nascimento. Isso não significa necessariamente que uma funcionalidade semelhante possa ser alcançada quando membros artificiais são suplementados mais tarde na vida. No entanto, pessoas com polidactilia oferecem uma oportunidade única para analisar o controle neuronal de membros extras e as possibilidades de habilidades sensório-motoras."


Ver mais notícias sobre os temas:

Neurociências

Cérebro

Robótica

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.