16/03/2021

Ateus e crentes têm bússolas morais muito parecidas

Redação do Diário da Saúde

Ateus, teístas e moralidade

Embora ateus e teístas (aqueles que acreditam em Deus) compartilhem valores morais relacionados à proteção de indivíduos vulneráveis, os ateus são menos propensos a endossar valores que promovem a coesão do grupo e mais inclinados a julgar a moralidade das ações com base em suas consequências.

Isso rejeita as crenças culturais generalizadas de que os ateus não teriam uma bússola moral.

Para chegar a essa conclusão, o professor Tomas Stahl, da Universidade de Illinois (EUA), fez duas pesquisas envolvendo 4.193 ateus e teístas dos EUA (um país predominantemente religioso) e da Suécia (um país predominantemente não-religioso).

A análise dos resultados sugere que os teístas são mais inclinados do que os ateus a endossar os valores morais que promovem a coesão do grupo.

Enquanto isso, os ateus são mais propensos a julgar a moralidade de uma ação com base em suas consequências.

No entanto, ateus e teístas parecem se alinhar em valores morais relacionados à proteção de indivíduos vulneráveis, na questão liberdade versus opressão, e serem fundamentalmente racionais, ou seja, acreditar em afirmações quando elas são baseadas em evidências, sendo céticos sobre afirmações não apoiadas por evidências.

Julgamentos morais

Os resultados das duas pesquisas sugerem que a ideia muito difundida, de que os ateus seriam "menos morais", pode surgir em parte de seu fraco endosso de valores morais que promovem a coesão de grupo e seu julgamento moral de ações caso a caso.

"A lição a se levar para casa desses estudos é que as pessoas que não acreditam em Deus têm uma bússola moral. Na verdade, elas compartilham muitas das mesmas preocupações morais que os crentes religiosos têm, como preocupações sobre justiça e sobre proteger indivíduos vulneráveis. No entanto, os descrentes são menos inclinados do que os crentes a endossar valores morais que servem à coesão do grupo, como respeito pelas autoridades, lealdade do grupo e santidade."

"É possível que o estereótipo negativo dos ateus como imorais possa decorrer em parte do fato de que eles são menos inclinados do que as pessoas religiosas a ver o respeito pela autoridade, a lealdade do grupo e a santidade como relevantes para a moralidade, e são mais propensos a fazer julgamentos morais sobre fazer o mal [a outros] de forma consequencialista, caso a caso," concluiu Stahl.

Checagem com artigo científico:

Artigo: The amoral atheist: A cross-national examination of cultural, motivational, and cognitive antecedents of disbelief, and their implications for morality
Autores: Tomas Ståhl
Publicação: PLoS ONE
DOI: 10.1371/journal.pone.0246593
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Espiritualidade

Relacionamentos

Ética

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.