31/07/2019

Biochip reproduz testes in vivo pela primeira vez

Redação do Diário da Saúde
Biochip reproduz testes in vivo pela primeira vez
São células, tecidos e mini-órgãos inteiros dentro de um chip, onde é possível testar candidatos a novos medicamentos.
[Imagem: Christopher W. McAleer et al. - 10.1038/s41598-019-45656-4]

Órgãos em um chip

Embora os biochips sejam apontados há anos pelos especialistas como uma das tecnologias mais promissoras na área de saúde, seu trajeto dos laboratórios para os consultórios médicos e hospitais depende de testes exaustivos que precisam ser feitos em várias etapas e, a seguir, comparados com os resultados obtidos pelos métodos tradicionais.

Uma das categorias mais promissoras dessa tecnologia são os chamados "órgãos em um chip", que prometem baratear e diminuir o tempo necessário ao desenvolvimento de novos medicamentos, além de reduzir os testes em cobaias e humanos.

Agora, um modelo de coração sem bombeamento e um sistema composto por dois miniórgãos, um coração e um fígado, passou pelo primeiro teste mostrando que o biochip é capaz de apresentar os mesmos resultados que os testes em seres vivos.

Os biochips foram usados para avaliar a relação farmacocinética/farmacodinâmica temporal da terfenadina - um anti-histamínico que foi banido devido a efeitos cardíacos tóxicos - bem como para determinar seu mecanismo de toxicidade.

"Estamos entusiasmados com o potencial dessa tecnologia para nos ajudar a garantir que os potenciais novos candidatos a medicamentos tenham uma maior probabilidade de sucesso durante o processo de avaliação clínica," disse o professor Michael Shuler, da Universidade Cornell.

Shuler e seus colegas já fundaram uma empresa, a Hesperos, para comercializar a tecnologia de "biochips multi-órgãos", que eles chamam de "ser humano em um chip".


Ver mais notícias sobre os temas:

Biochips

Desenvolvimento de Medicamentos

Cobaias

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.