18/02/2021

Butantan iniciará estudo inédito sobre eficácia da vacinação contra covid-19

Com informações da Agência Fapesp
Butantan iniciará estudo inédito sobre eficácia da vacinação contra covid-19
Instituto Butantan inicia estudo inédito no mundo sobre eficácia coletiva da vacinação contra covid-19.
[Imagem: Governo do Estado de São Paulo]

Projeto S

O Instituto Butantan iniciou em Serrana, município paulista com 48 mil habitantes, estudo inédito com o objetivo de avaliar o impacto da vacinação no combate à pandemia de covid-19.

Toda a população maior de 18 anos deverá ser vacinada nos próximos dois meses e os primeiros resultados devem ser conhecidos em maio. A vacina utilizada será Coronavac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac e produzida no Brasil pelo Instituto Butantan.

Por meio desse estudo - denominado Projeto-S - os pesquisadores vão medir o impacto da vacinação na transmissão do vírus e na redução da sobrecarga no sistema de saúde, bem como outros efeitos indiretos da imunização na economia, na circulação de pessoas e também sobre as novas variantes do SARS-CoV-2.

A escolha de Serrana se deu por três motivos principais: trata-se de uma cidade pequena, com um alto índice de contaminação (o que permite avaliar a diferença entre imunidade obtida pela doença e adquirida pela vacina) e está próxima a um polo de pesquisa, como é o caso da cidade de Ribeirão Preto.

"Não se trata de uma vacinação em massa pura e simplesmente. O estudo tem por objetivo acompanhar a efetividade da vacinação em uma comunidade e, com isso, identificar até que ponto a imunização individual tem efeito coletivo. Isso quer dizer que queremos identificar a queda da taxa de transmissão do novo coronavírus com a vacinação ou o número de pessoas que é necessário vacinar para que o vírus pare de circular e para que aquelas pessoas que não puderem tomar a vacina também fiquem protegidas," diz Ricardo Palácios, diretor de estudos clínicos do Butantan.

As informações obtidas em Serrana servirão de base para o planejamento da campanha de vacinação. "Esse tipo de estudo é muito difícil de ser realizado. Ele demanda uma grande preparação prévia de logística, exige também o envolvimento de vários atores e da própria população que é a protagonista do estudo. Só conseguiremos os dados que buscamos se a população aceitar e se engajar na vacinação," disse Palácios.

Para analisar os efeitos da vacinação, a cidade foi dividida em 25 setores ou aglomerados. Por meio de um sorteio, foi estabelecida a ordem de vacinação de cada setor nos próximos dois meses. A única priorização é a de que setores vizinhos não sejam vacinados ao mesmo tempo, justamente para avaliar o impacto da vacinação de um aglomerado no outro. O Instituto Butantan vai monitorar por meio de testagens a redução do contágio da covid-19 conforme os moradores adultos da cidade forem vacinados.

Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Epidemias

Vacinas

Vírus

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.