27/04/2021

Câmera em formato de olho quer incomodar para fazer você pensar

Redação do Diário da Saúde
Câmera em formato de olho quer incomodar você para fazê-lo pensar
Sim, essa coisa estranha aí em primeiro plano é uma câmera.
[Imagem: Marc Teyssier et al. - 10.1145/1122445.1122456]

Design antropomórfico

Microfones e câmeras estão por toda parte: dos celulares e notebooks e até mesmo em televisores e geladeiras.

A maioria das pessoas já se acostumou com essa potencial invasão de privacidade e nem mesmo vê essas câmeras como elas realmente são - olhos e ouvidos onipresentes.

Uma equipe de cientistas da computação da Universidade de Saarland (Alemanha) queria testar justamente esse aspecto de "desaparecimento" das câmeras no dia a dia das pessoas.

Para isso, eles usaram uma abordagem de design antropomórfica para questionar criticamente essa tecnologia sensorial que se tornou parte da vida cotidiana.

Sua Eyecam é o protótipo de uma câmera que não só se parece com um olho humano, mas imita seus movimentos de forma realista, como piscar ou levantar a sobrancelha.

"O objetivo do nosso projeto não é desenvolver um design 'melhor' para as câmeras, mas iniciar uma discussão. Queremos chamar a atenção para o fato de que estamos cercados por sensores todos os dias. Isso levanta a questão de como isso nos afeta," explicou o professor Marc Teyssier.

Câmera-olho

Todos reconhecem que as webcams são um risco potencial para a privacidade.

A Eyecam exagera esse aspecto, agindo como um observador ao abrir o olho e rastrear o usuário com o olhar.

Alternativamente, a câmera antropomórfica pode ser usada para autorreflexão, com o olho artificial ficando cada vez mais cansado e se fechando repetidamente enquanto o usuário se senta na frente do computador tarde da noite, sugerem os pesquisadores.

"Existem diferentes maneiras de ver, todas com suas conotações únicas, como observar, reconhecer, assistir ou até mesmo espiar. Além disso, uma câmera projetada como um olho pode enviar sinais não-verbais por meio de expressões faciais. Isso abre toda uma nova camada de interação que não existia nos dispositivos técnicos antes," acrescentou a pesquisadora Marion Koelle.

Faça você mesmo

Além de incomodar, os pesquisadores sugerem que a câmera-olho pode assumir o papel de um animal de estimação que está simplesmente ali, olhando em volta de vez em quando e reagindo com alegria quando seu dono entra no quarto.

"Nossos cenários de aplicações são fictícios e têm como objetivo encorajar as pessoas a pensar sobre como interagimos com os dispositivos técnicos hoje, mas também no futuro. O que é especial é que possamos experimentar e recriar nossos cenários imaginários com a ajuda de um protótipo existente fisicamente," disse Teyssier.

Para alcançar o maior número possível de pessoas com seu desenvolvimento instigante, o grupo publicou os projetos de sua câmera-olho, para que os interessados possam fabricar suas próprias unidades.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Eyecam: Revealing Relations between Humans and Sensing Devices through an Anthropomorphic Webcam
Autores: Marc Teyssier, Marion Koelle, Paul Strohmeier, Bruno Fruchard, Jürgen Steimle
Publicação: Proceedings of th ACM Conference on Human Factors in Computing Systems
DOI: 10.1145/1122445.1122456
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Comportamento

Relacionamentos

Robótica

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.