20/01/2021

Cientistas pintam cada neurônio do cérebro de uma cor diferente

Redação do Diário da Saúde
Cientistas pintam cada neurônio do cérebro de uma cor diferente
As cores permitem não apenas ver os neurônios do animal, como também ver o sistema nervoso funcionando.
[Imagem: Eviatar Yemini]

Neurônios coloridos

Uma nova técnica de coloração tornou possível ver cada um dos neurônios em uma cor diferente.

Bem, por enquanto todos os neurônios do sistema nervoso de um verme.

O cérebro humano contém estimados 86 bilhões de neurônios, ou células nervosas, entrelaçadas em cerca de 100 trilhões de conexões, ou sinapses. Cada célula tem uma função que nos ajuda a mover músculos, processar nosso ambiente, formar memórias e muito mais.

Dado o grande número de neurônios e conexões, ainda há muito que não sabemos sobre como os neurônios trabalham em conjunto para dar origem aos pensamentos e ao comportamento.

Como é razoável começar pelo mais simples, os pesquisadores trabalharam com o Caenorhabditis elegans (C. elegans), uma espécie de verme comumente usada na área de pesquisa biológica - ele tem apenas 32 neurônios.

Assistir o sistema nervoso funcionando

Pesquisadores desenvolveram agora uma técnica de coloração, que eles batizaram de NeuroPAL (sigla em inglês para Atlas Neuronal Policromático de Pontos de Referência), que torna possível identificar cada neurônio individualmente

A técnica usa métodos genéticos para "pintar" os neurônios com cores fluorescentes, permitindo não apenas identificar cada neurônio, como também registrar todo o sistema nervoso em ação.

"É incrível 'assistir' um sistema nervoso em sua totalidade e ver o que ele faz," disse o professor Oliver Hobert, da Universidade de Colúmbia (EUA). "As imagens criadas são impressionantes - pontos coloridos brilhantes aparecem no corpo do verme como luzes de Natal em uma noite escura."

Como as cores são inseridas no DNA do neurônio e associadas a genes específicos, as cores também podem ser usadas para revelar se esses genes específicos estão presentes ou ausentes em uma célula.

"Ser capaz de identificar neurônios, ou outros tipos de células, usando cores, pode ajudar os cientistas a compreender visualmente o papel de cada parte de um sistema biológico," disse o pesquisador Eviatar Yemini, membro da equipe. "Isso significa que, quando algo dá errado com o sistema, isso pode nos ajudar a identificar onde ocorreu a pane."

Checagem com artigo científico:

Artigo: NeuroPAL: A Multicolor Atlas for Whole-Brain Neuronal Identification in C. elegans
Autores: Eviatar Yemini, Albert Lin, Amin Nejatbakhsh, Erdem Varol, Ruoxi Sun, Gonzalo E. Mena, Aravinthan D.T. Samuel, Liam Paninski, Vivek Venkatachalam, Oliver Hobert
Publicação: Cell
DOI: 10.1016/j.cell.2020.12.012
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Neurociências

Sistema Nervoso

Cérebro

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.