07/04/2020

Descoberto como a obesidade causa pressão alta - e possíveis maneiras de corrigir

Redação do Diário da Saúde
Descoberto como a obesidade causa pressão alta - e possíveis maneiras de corrigir
Alvejar o peroxinitrito ou as enzimas que o produzem pode ser uma maneira eficaz de tratar e prevenir a pressão alta na obesidade, sem efeitos colaterais.
[Imagem: CC0 Public Domain/Pixabay]

Hipertensão na obesidade

Pesquisadores descobriram finalmente os mecanismos pelos quais a obesidade causa pressão alta e ainda identificaram possíveis maneiras de tratar essa forma de hipertensão.

A descoberta, feita em amostras de tecido humano, foi confirmada em experimentos que reverteram a pressão alta em animais de laboratório.

"Se conseguirmos projetar os compostos apropriados, poderemos tratar a hipertensão em pacientes obesos," disse o professor Swapnil Sonkusare, da Universidade da Virgínia (EUA).

Células endoteliais e pressão arterial

Já se suspeitava que a hipertensão na obesidade estivesse relacionada a problemas nas células endoteliais que revestem pequenas artérias, que são os vasos sanguíneos em nosso corpo que controlam a pressão arterial. Os mecanismos de como isso ocorre, no entanto, nunca haviam sido esclarecidos até agora.

Sonkusare e seus colegas descobriram que uma proteína chamada TRPV4, localizada nas membranas que circundam as células endoteliais, permite que o cálcio entre nas células e mantenha a pressão sanguínea normal.

A obesidade, por sua vez, afeta essa proteína dentro de minúsculas subseções da membrana celular - a equipe chamou essas subseções defeituosas de "microdomínios patológicos".

"Sob condições saudáveis, a TRPV4 nesses minúsculos microdomínios ajuda a manter a pressão sanguínea normal. Nós, pela primeira vez, mostramos a sequência de eventos que levam a um microambiente prejudicial para a entrada de cálcio na TRPV4," disse ele. "Acho que o conceito de microdomínio patológico será muito importante não apenas para estudos relacionados à obesidade, mas também para estudos de outros distúrbios cardiovasculares".

Os pesquisadores descobriram que a obesidade aumenta os níveis de enzimas produtoras de peroxinitrito nos microdomínios que contêm TRPV4. O peroxinitrito silencia a TRPV4 e reduz a entrada de cálcio nas células. Sem uma quantidade adequada de cálcio, a pressão arterial sobe.

Contra-atacar a hipertensão na obesidade

Sonkusare acredita que alvejar o peroxinitrito ou as enzimas que o produzem pode ser uma maneira eficaz de tratar e prevenir a pressão alta na obesidade, sem os efeitos colaterais que adviriam da tentativa de atingir a própria TRPV4.

"As pessoas me perguntaram: 'Por que você não usa um medicamento para ativar diretamente a TRPV4?' Mas a TRPV4 está presente em muitos outros tecidos, incluindo cérebro, músculos e bexiga," explicou ele. "Portanto, se você ativar diretamente a TRPV4, isso provavelmente terá efeitos colaterais indesejáveis. A melhor abordagem seria alvejar os eventos específicos que reduzem a função da TRPV4 na obesidade".

Checagem com artigo científico:

Artigo: Local Peroxynitrite Impairs Endothelial TRPV4 Channels and Elevates Blood Pressure in Obesity
Autores: Matteo Ottolini, Kwangseok Hong, Eric L. Cope, Zdravka Daneva, Leon J. DeLalio, Jennifer D. Sokolowski, Corina Marziano, Nhiem Y. Nguyen, Joachim Altschmied, Judith Haendeler, Scott R. Johnstone, Mohammad Y. Kalani, Min S. Park, Rakesh P. Patel, Wolfgang Liedtke, Brant E. Isakson, Swapnil K. Sonkusare
Publicação: Circulation
DOI: 10.1161/CIRCULATIONAHA.119.043385
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Sistema Circulatório

Desenvolvimento de Medicamentos

Dietas e Emagrecimento

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2020 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.