04/11/2021

Enxaguante bucal inativa vírus da covid-19

Com informações da Agência Fapesp
Enxaguante bucal inativa vírus da covid-19
Células infectadas com SARS-CoV-2. No campo de maior ampliação, à direita, é possível observar as vesículas em detalhes.
[Imagem: Edison Durigon/ICB-USP]

Ftalocianina

Pesquisadores brasileiros conseguiram produzir em escala industrial uma substância derivada do corante ftalocianina que é capaz de inativar o SARS-CoV-2, vírus causador da covid-19.

A ftalocianina de ferro possui grupos aniônicos - átomos com carga negativa - que ativam o íon de ferro situado no centro da molécula, tornando-a capaz de se ligar ao oxigênio presente no ar e torná-lo reativo.

Dessa forma, o oxigênio passa a se comportar como o ozônio ou a água oxigenada (peróxido de hidrogênio), causando danos oxidativos em microrganismos como vírus, fungos e bactérias.

Testes feitos no Instituto de Ciências Biomédicas da USP demonstraram que a substância reduziu em 99,96% a carga viral em culturas de células, sem causar alterações metabólicas, os chamados efeitos citotóxicos.

Já um ensaio clínico conduzido por pesquisadores da Faculdade de Odontologia de Bauru revelou que o uso intensivo de um enxaguante bucal contendo a mesma a substância antiviral por pacientes internados em um hospital público da cidade, em estágio inicial da infecção, contribuiu para diminuir os sintomas e o tempo de internação.

"A molécula é capaz de se ligar ao oxigênio presente no ar. Quando ocorre essa ligação, o oxigênio torna-se mais ativo, causando danos oxidativos no vírus," explicou o professor Koiti Araki, coordenador do projeto.

Enxaguante bucal contra covid

As análises indicaram que o tempo médio de internação do grupo de 20 pacientes que fizeram gargarejo e enxague com o antisséptico à base da nova substância, cinco vezes ao dia e por um minuto até a alta hospitalar, foi significativamente menor em comparação com os que fizeram o mesmo procedimento usando um enxaguatório sem o produto.

"Já testamos no laboratório vários antivirais que funcionaram contra o SARS-CoV-2, mas nenhum em uma concentração tão baixa quanto essa molécula," comparou o professor Edison Luiz Durigon, membro da equipe. "O composto tem ação imediata contra o vírus. As reações oxidativas provocadas por ele destroem o envoltório lipoproteico do novo coronavírus".

Caso os produtos sejam aprovados pelas autoridades de saúde, a ideia é que possam ser usados como tratamento adjuvante, reduzindo a carga viral na fase inicial da infecção, enquanto o sistema imune se prepara para produzir anticorpos e combater o vírus.

"Com a diminuição da carga viral, a infecção será mais lenta, o que dará tempo para o sistema imune combatê-la. Quando começar a ter uma quantidade de vírus maior em outros tecidos que o enxaguatório não atinge, o sistema imune já estará ativo para combatê-los," explicou Durigon.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Beneficial effects of a mouthwash containing an antiviral phthalocyanine derivative on the length of hospital stay for COVID-19: randomised trial
Autores: Paulo Sérgio da Silva Santos, Bernardo da Fonseca Orcina, Rafael Rahal Guaragna Machado, Fabiano Vieira Vilhena, Lucas Marques da Costa Alves, Mariana Schutzer Ragghianti Zangrando, Rodrigo Cardoso de Oliveira, Mariana Quirino Silveira Soares, Andréa Name Colado Simão, Emilene Cristine Izu Nakamura Pietro, Juliana Pescinelli Garcia Kuroda, Ivanilda Aparecida de Almeida Benjamim, Danielle Bastos Araujo, Sérgio Hiroshi Toma, Lourival Flor, Koiti Araki, Edison Luiz Durigon
Publicação: Nature Scientific Reports
Vol.: 11, Article number: 19937
DOI: 10.1038/s41598-021-99013-5
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Desenvolvimento de Medicamentos

Vírus

Saúde Bucal

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.