22/01/2019

Estatinas reduzem sua gordura boa

Redação do Diário da Saúde
Estatinas reduzem sua gordura boa
As estatinas reduzem o tecido adiposo marrom, ou gordura boa.
[Imagem: ETH Zurich]

Gordura marrom

Embora seja uma característica dos recém-nascidos, uma certa proporção da população adulta tem não apenas tecido adiposo branco, mas também gordura marrom, conhecida como "gordura boa", um tecido adiposo que ajuda a converter açúcar e gordura em calor.

De fato, temos três vezes mais gordura boa do que se pensava quando a gordura marrom foi descoberta na década passada.

As pessoas adultas que têm tecido adiposo marrom são melhores em regular a temperatura do corpo no inverno e têm menor probabilidade de sofrer de excesso de peso ou diabetes.

Gordura marrom e estatinas

Agora coloque a gordura boa de lado e pense noutra coisa aparentemente desconexa: Muitos médicos estão receitando estatinas como uma forma de reduzir o risco de ataques cardíacos, uma vez que essas substâncias reduzem os níveis de colesterol no sangue.

Elas estão entre os medicamentos mais prescritos em todo o mundo, apesar de várias pesquisas mostrarem que as estatinas são uma faca de dois gumes.

Quem juntou as duas coisas - gordura marrom e estatinas -, descobrindo uma conexão nada feliz entre elas, foram Miroslav Balaz e seus colegas do Instituto Federal de Tecnologia (ETH) de Zurique (Suíça).

Balaz descobriu que a via bioquímica responsável pela produção de colesterol desempenha um papel central na transformação das células de gordura branca, que formam a camada de gordura sob a pele, tornando-se "boas" células de gordura marrom.

Estatinas reduzem sua gordura boa
O uso das estatinas é motivo de controvérsia há muito tempo, sobretudo seu uso de forma preventiva. Recentemente um estudo sugeriu que as estatinas podem aumentar o risco de Parkinson.
[Imagem: CC0 Public Domain/Pixabay]

Ele também descobriu que a principal molécula que regula essa transformação de gordura ruim em gordura boa é o metabólito pirofosfato de geranilgeranila.

Já se sabia também que a via bioquímica do colesterol é igualmente central para o funcionamento das estatinas - um dos seus efeitos é reduzir a produção justamente do pirofosfato de geranilgeranila.

É por isso que os pesquisadores queriam saber se as estatinas também afetam a formação do tecido adiposo marrom.

Estatinas reduzem gordura boa

E, de fato, é isso o que acontece, conforme Balaz demonstrou em experimentos com camundongos e humanos: As estatinas reduzem o tecido adiposo marrom, ou gordura boa.

Também se confirmou outro efeito negativo das estatinas: em doses elevadas, o medicamento aumenta ligeiramente o risco de algumas pessoas desenvolverem diabetes - como já havia sido demonstrado em outros estudos.

"É possível que esses dois efeitos - a redução do tecido adiposo marrom e o risco ligeiramente aumentado de diabetes - estejam relacionados," disse o professor Christian Wolfrum, acrescentando que essa questão exigirá mais pesquisas antes que se parta para demonizar as estatinas.

A pesquisa foi publicada na revista Cell Metabolism.


Ver mais notícias sobre os temas:

Medicamentos

Dietas e Emagrecimento

Sistema Circulatório

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.