Higenamina: Substância banida do esporte encontrada em suplementos

Higenamina: Substância banida do esporte encontrada em suplementos
As sementes da flor-de-lótus, a fruta do conde e várias plantas da medicina chinesa contêm higenamina em doses variadas.
[Imagem: Wikimedia]

Higenamina

Menos de dois anos depois que a Agência Mundial Antidoping (WADA) acrescentou a higenamina à sua lista de substâncias proibidas no esporte, uma equipe internacional de pesquisadores de saúde pública documentou níveis potencialmente prejudiciais do estimulante em suplementos para perda de peso, suplementos para esportistas e energéticos disponíveis comercialmente - todos sem ou com indicação incorreta no rótulo sobre a presença da substância.

Com base nos resultados, os pesquisadores estão pedindo que os consumidores tomem cuidado ao consumir suplementos contendo higenamina, mesmo quando há indicações no rótulo, uma vez que essas indicações são imprecisas.

A higenamina, também conhecida como norcoclaurina, é um composto químico encontrado em uma variedade de plantas, incluindo Nandina domestica (nandina, avenca-japonesa, bambú-do-céu ou bambú-celeste), Aconitum carmichaelii (raiz conhecida como Fu Zi), Asarum heterotropoides (espécie de gengibre conhecido como Xi Xin), Galium divaricatum (parente do café), Annona squamosa (fruta do conde, ata) e Nelumbo nucifera (sementes de lótus).

"Realçamos aos atletas amadores e profissionais, bem como aos consumidores em geral, que pensem duas vezes antes de consumir um produto que contém higenamina," disse o professor John Travis. "Além do risco de doping para atletas, alguns desses produtos contêm doses extremamente altas de um estimulante com segurança desconhecida e potenciais riscos cardiovasculares quando consumido. O que aprendemos com o estudo é que muitas vezes não há como o consumidor saber quanta higenamina há de fato no produto que estão comprando."

O estudo independente foi realizado por pesquisadores da organização global de saúde pública NSF International e da Universidade de Harvard, nos EUA, e do Instituto Nacional de Saúde Pública e Meio Ambiente (RIVM) da Holanda.

Riscos para os atletas e para o coração

Os pesquisadores estudaram 24 produtos rotulados como contendo higenamina - ou os sinônimos norcoclaurina e demetilcoclaurina - e encontraram quantidades potencialmente prejudiciais do estimulante, variando de níveis traço (desprezíveis) a 62 mg por porção.

Dos 24 produtos testados, apenas cinco listaram uma quantidade específica de higenamina no rótulo, e nenhuma dessas cinco quantidades foram precisas. Com base nas instruções de uso, os consumidores podem estar expostos a até 110 mg de higenamina por dia, dizem os pesquisadores.

Os riscos para a saúde da higenamina permanecem pouco compreendidos, mas como um agonista beta-2, ela foi banida do esporte e, portanto, representa um risco para as carreiras dos atletas profissionais.

"Algumas plantas, como a efedrina, contêm estimulantes. Se você tomar muito dos estimulantes encontrados na efedrina, isso pode ter consequências fatais. Da mesma forma, a higenamina é um estimulante encontrado nas plantas," disse o Dr. Pieter Cohen, da Universidade de Harvard. "Quando se trata da higenamina, ainda não sabemos ao certo que efeito altas dosagens terão no corpo humano, mas uma série de estudos preliminares sugerem que ela pode ter efeitos profundos sobre o coração e outros órgãos."


Ver mais notícias sobre os temas:

Drogas Lícitas

Plantas Medicinais

Medicamentos Naturais

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2018 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.