04/01/2011

Hormônio do des-crescimento aumenta longevidade

Redação do Diário da Saúde

Hormônio do "des-crescimento"

Uma substância que age no sentido oposto ao do hormônio do crescimento pode reverter alguns dos sinais de envelhecimento.

A descoberta pode ser chocante para alguns adultos mais velhos que tomam hormônio do crescimento pensando que isto irá ajudar a revitalizá-los.

A descoberta, que pode reformular totalmente as atuais formas de combater o envelhecimento, foi publicada na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences.

Perigos do hormônio do crescimento

Segundo o Dr. John Morley, da Universidade Saint Louis, nos Estados Unidos, os resultados são significativos porque muitas pessoas tomam hormônio de crescimento acreditando que será a fonte da juventude.

"Muitos idosos têm tomado hormônio de crescimento para rejuvenescer," disse Morley. "Estes resultados sugerem fortemente que o hormônio de crescimento, quando administrado a pessoas de meia-idade e idosos, pode ser perigoso."

Os cientistas estudaram o composto MZ-5-156, um "antagonista do hormônio liberador do hormônio do crescimento (GHRH)."

Eles descobriram que o MZ-5-156 teve efeitos positivos sobre o estresse oxidativo no cérebro, melhorando a cognição, a atividade da telomerase (as ações de uma enzima que protege o DNA) e o tempo de vida, além de diminuir a atividade de tumores.

Nova fonte da juventude?

O MZ-5-156, como muitos antagonistas do GHRH, inibiu vários cânceres humanos, incluindo o de próstata, mama, cérebro e pulmão.

Ele também teve efeitos positivos na aprendizagem, e está ligado à melhoria da memória de curto prazo.

A ação antioxidante levou a um menor estresse oxidativo, revertendo o prejuízo cognitivo advindo do envelhecimento.

Esses efeitos levaram os cientistas a concluir que, ao contrário do que se acreditava até agora, "os antagonistas do hormônio liberador do hormônio do crescimento têm efeitos benéficos sobre os efeitos do processo de envelhecimento".

Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Terceira Idade

Qualidade de Vida

Bem-estar emocional

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.