26/03/2019

Imunidade contra a dengue na mãe piora efeito do zika no bebê

Redação do Diário da Saúde

A complexa interação entre dengue e zika

Vários estudos vêm mostrando uma interação complexa entre os vírus da zika e da dengue.

Novas pesquisas revelaram agora mecanismos anteriormente desconhecidos por que algumas infecções por vírus zika durante a gravidez não geram anomalias cerebrais nos bebês.

Pesquisadores das universidades de Duke (EUA) e Nacional de Cingapura descobriram que o dano cerebral fetal é muito pior se as mães infectadas com zika também apresentam anticorpos da dengue.

Eles determinaram ainda que um complexo imune que se forma quando os anticorpos da dengue se ligam ao vírus zika é reconhecido por um receptor nas células da placenta, permitindo que o vírus atravesse a placenta em direção ao feto.

"Nossa pesquisa indica que a imunidade prévia da mãe à dengue pode ser um fator de risco para resultados graves em bebês nascidos de mães infectadas pelo vírus zika durante a gravidez. Isso é altamente significativo porque as regiões epidêmicas atuais do vírus zika se sobrepõem em grande extensão com aquelas do vírus da dengue, e este trabalho embasa nossa compreensão de mecanismos que podem influenciar a gravidade da infecção com o vírus zika," disse o professor Ashley St. John, um dos autores do estudo, publicado na revista Science Advances.

O resultado é surpreendente porque pesquisas anteriores haviam mostrado que a imunidade adquirida contra a dengue pode proteger contra a zika, quando este novo estudo mostra o contrário.

Zika e microcefalia

Os experimentos, feitos em animais de laboratório, mostraram que a infecção pelo vírus zika em mães com anticorpos contra a dengue resulta em fetos com menores circunferências da cabeça - microcefalia -, e danos mais significativos ao tecido cerebral.

Além disso, quando um receptor chamado FcRN (receptor Fc neonatal) foi bloqueado, a transmissão do vírus zika da mãe para o feto foi reduzida, resultando em uma maior circunferência da cabeça e menos danos cerebrais.

A equipe também mostrou que os anticorpos contra a dengue podem promover a transmissão do vírus zika pelas células da placenta humana, mas pesquisas adicionais são necessárias para determinar se a infecção pelo vírus da dengue tem o mesmo efeito em bebês humanos nascidos de mulheres infectadas com zika durante a gravidez.

O novo mecanismo que leva à transferência do vírus zika da mãe para o feto também pode ser relevante em outras infecções virais transmitidas da mãe para o feto, como o HIV e o citomegalovírus, disse o professor St. John.


Ver mais notícias sobre os temas:

Vírus

Gravidez

Neurociências

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2018 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.