28/03/2019

Infertilidade masculina: Problema pode estar no caminho de saída dos espermatozoides

Redação do Diário da Saúde

Não exatamente infértil

Cientistas descobriram que o DNA do esperma dos testículos de muitos homens inférteis é tão bom quanto o do esperma ejaculado de homens férteis.

Isso pode explicar uma das principais causas da infertilidade masculina, abrindo a possibilidade de usar espermatozoides coletados diretamente dos testículos desses mesmos homens para superar sua infertilidade.

Danos ao DNA do esperma representam uma das principais causas da infertilidade masculina e reduz as chances de um casal ter filhos.

Problemas no caminho

O que a professora Sheena Lewis e colegas da Universidade Queens de Belfaste (Reino Unido) descobriram é que, na jornada dos testículos ao longo da longa série de dutos antes da ejaculação, o DNA do esperma pode sofrer grandes danos, alguns dos quais devido ao estresse oxidativo.

Para isso, eles compararam amostras de espermatozoides dos testículos e ejaculados de homens inférteis e férteis. Os homens inférteis incluídos no estudo não tiveram êxito anterior com o tratamento de fertilidade (injeção intracitoplasmática de espermatozoides). As análises procuraram especificamente por dois tipos de "quebras" na molécula de DNA - quebras de cadeia simples e dupla.

"Quando analisamos os espermatozoides ejaculados, descobrimos que a extensão dos danos ao DNA do esperma era muito maior nos homens inférteis do que nos homens férteis, com aproximadamente 15% nos homens férteis, mas 40% nos homens inférteis. Não foi uma surpresa ver danos maiores no DNA de esperma ejaculado de homens inférteis. O que não esperávamos era a consistência desses resultados. Quando olhamos para o esperma retirado diretamente dos testículos dos homens inférteis, descobrimos que ele era de qualidade semelhante à do esperma fértil ejaculado," disse Lewis.

Infertilidade e estresse oxidativo

A maioria dos danos ao DNA causados no trânsito dos testículos até a ejaculação foi causada pelo estresse oxidativo, que causa quebras de fita única, mas não duplas. Isso ocorre quando os espermatozoides são submetidos a maus hábitos de vida, como dieta inadequada, ficar sentado o dia todo ou fumar. Doenças como a doença de Crohn e diabetes tipo 2 também causam estresse oxidativo.

Mas a pesquisadora faz ressalvas aos limites do estudo.

"Precisamos estar cientes de o que este estudo mostra e o que não mostra. Nós ainda não podemos provar que este dano ao DNA do esperma é a principal causa da infertilidade masculina ou da falha do tratamento [de injeção intracitoplasmática de espermatozoides] nesses homens, ou que o uso de esperma testicular diretamente ajudaria melhorar a chance de engravidar, mas o trabalho certamente aponta nessa direção," finalizou Lewis.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde do Homem

Sexualidade

Gravidez

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.