02/03/2020

Máscaras faciais são eficazes para proteger contra coronavírus?

Com informações da OMS
Máscaras faciais são eficazes para proteger contra coronavírus?
Quem está com sintomas de gripe deve usar a máscara para proteger os outros.
[Imagem: PAHO]

Máscaras contra coronavírus

Uma série de pesquisas científicas realizadas ao longo dos últimos anos demonstrou que o uso de máscaras faciais durante surtos de doenças virais - como a covid-19, causada pelo recém-descoberto coronavírus SARS-CoV-2 - é eficaz para reduzir o risco de pacientes doentes espalharem a doença e para proteger os profissionais de saúde que lidam com os doentes.

Os benefícios protetores para pessoas saudáveis ainda não são claros, embora experimentos nessa área sejam complexos de serem feitos e monitorados, e geralmente envolvem um pequeno número de voluntários.

Com base nessas evidências, a Organização Pan-Americana da Saúde, braço regional da OMS, recomenda o uso de máscaras faciais para:

  • Pessoas que apresentam sintomas respiratórios, como tosse, espirros ou dificuldade em respirar, mesmo quando procuram atendimento médico, para proteger as pessoas ao seu redor.
  • Pessoas (incluindo familiares) que prestam atendimento a pessoas com sintomas respiratórios.
  • Profissionais de saúde, quando entram em uma sala com pacientes ou quando tratam um indivíduo com sintomas respiratórios e de acordo com o tipo de atendimento que será prestado.

Contudo, em nenhuma dessas circunstâncias o mero uso de uma máscara facial garante proteção total contra infecções, devendo ser combinado com outras medidas de proteção pessoal, como higienizar as mãos, manter distância de pessoas com sintomas e praticar a etiqueta respiratória (ao tossir ou espirrar, cobrir a boca e o nariz com o cotovelo flexionado ou com um lenço - em seguida, jogar fora o lenço e higienizar as mãos).

Os experimentos científicos demonstraram também que os profissionais de saúde podem ser infectados tocando em uma máscara contaminada que eles próprios estavam usando ou removendo incorretamente a máscara, anulando o efeito protetor da máscara.

"Nenhuma medida preventiva é 100% eficaz para prevenir infecções, mas praticar todas elas de maneira conjunta pode reduzir as chances de disseminação da infecção," disse o vice-diretor da OPAS, Jarbas Barbosa.

Sob esse ponto de vista, o uso de uma máscara facial por pessoas sadias em busca de proteção também não fará mal, ainda que a proteção oferecida seja relativa ou complementar.

Recomendações para o público se proteger

Em um surto como o covid-19, as seguintes medidas podem ajudar as pessoas a reduzir suas chances de serem infectadas:

  • Lave as mãos com frequência ou use um desinfetante para as mãos à base de álcool. Sempre lave com água e sabão quando as mãos estiverem visivelmente sujas.
  • Evite tocar o nariz ou a boca, que são vias comuns de infecção.
  • Evite multidões e limite suas visitas a espaços fechados com pessoas.
  • Evite o contato físico.
  • Mantenha uma distância de pelo menos um metro de qualquer pessoa que tenha sintomas respiratórios (por exemplo, tosse ou espirro).

Se a pessoa tiver sintomas como tosse, espirros ou dificuldade para respirar, as recomendações são:

  • Usar uma máscara facial para evitar a propagação da doença.
  • Se não usar máscara, mas estiver tossindo e espirrando, é fundamental cobrir o nariz e a boca com o cotovelo dobrado ou com um lenço de papel - em seguida, jogar fora o lenço e higienizar as mãos.

"Este é um novo vírus", disse Barbosa, referindo-se ao SARS-CoV-2, "então ainda estamos coletando informações sobre ele. Mas as evidências já disponíveis mostram que é semelhante o suficiente a outros vírus e estamos bastante confiantes de que essas recomendações são boas dicas para reduzir as chances de infecção".

Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Higiene Pessoal

Prevenção

Vírus

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2020 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.