29/10/2020

Microrrobô caminha pelo intestino dando cambalhotas

Redação do Diário da Saúde
Microrrobô caminha pelo intestino dando cambalhotas
O microrrobô é minúsculo e biocompatível, sendo impulsionado por um campo magnético atuando de fora do corpo.
[Imagem: Georges Adam/Purdue]

Robô todo-terreno

Um robô retangular minúsculo viajou pelo cólon de animais de laboratório vivos sem usar rodas ou esteiras - ele se movimenta dando cambalhotas.

O objetivo é usar esses robôs para transportar medicamentos dentro do corpo humano. E como o intestino e outros órgãos do nosso corpo têm um "terreno acidentado", sair capotando parece ser uma solução melhor do que tentar andar como um veículo 4x4.

Levar um medicamento diretamente ao local-alvo pode minimizar ou eliminar efeitos colaterais - como a queda de cabelo, sangramento estomacal etc. - que os medicamentos podem causar ao interagir com outros órgãos ao longo do caminho.

Esta é a primeira demonstração de um microrrobô em um sistema biológico in vivo. Por ser muito pequeno para carregar uma bateria, o microrrobô é alimentado e controlado sem fio de fora, por um campo magnético.

"Quando aplicamos um campo magnético externo rotativo a esses robôs, eles giram como um pneu de carro faria ao passar por um terreno acidentado," contou o professor David Cappelleri, da Universidade Purdue (EUA). "O campo magnético também penetra com segurança em diferentes tipos de meios, o que é importante para o uso desses robôs no corpo humano."

Robô no intestino

A equipe realizou os experimentos in vivo no intestino de camundongos vivos sob anestesia, inserindo o microrrobô em uma solução salina através do reto. Eles usaram equipamento de ultrassom para observar em tempo real como o microrrobô se movia.

Os microrrobôs também conseguiram se movimentar bem em intestinos excisados de porcos, que têm intestinos semelhantes aos dos humanos.

Os microrrobôs magnéticos, feitos de polímero e metal, são atóxicos e biocompatíveis. Por isso os pesquisadores acreditam que eles poderão vir a atuar como ferramentas de diagnóstico, além de veículos de entrega de medicamentos.

"Do ponto de vista do diagnóstico, esses microrrobôs podem evitar a necessidade de colonoscopias minimamente invasivas, ajudando a coletar tecido. Ou eles podem fornecer cargas úteis sem ter que fazer o trabalho de preparação que é necessário para as colonoscopias tradicionais," disse o professor Craig Goergen.

Checagem com artigo científico:

Artigo: A Tumbling Magnetic Microrobot System for Biomedical Applications
Autores: Elizabeth E. Niedert, Chenghao Bi, Georges Adam, Elly Lambert, Luis Solorio, Craig J. Goergen, David J. Cappelleri
Publicação: Micromachines
Vol.: 11(9), 861
DOI: 10.3390/mi11090861
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Robótica

Equipamentos Médicos

Tratamentos

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2020 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.