14/08/2019

Ouvido interno é diferente em homens e mulheres

Redação do Diário da Saúde
Ouvido interno é diferente em homens e mulheres
Formas médias femininas (esquerda) e masculinas (direita) para a curva espiral coclear, cuja torção foi codificada em uma escala colorida. Embora as duas formas sejam orientadas da mesma maneira, as diferenças geométricas são visíveis.
[Imagem: J. Braga et al. - 10.1038/s41598-019-47433-9]

Diferenças ósseas entre sexos

A seção auditiva do ouvido interno, chamada cóclea, não tem a mesma forma desde o nascimento.

Mais importante, sua forma varia significativamente entre homens e mulheres.

Essa descoberta promete ajudar a desenvolver o primeiro método confiável para a determinação do sexo, inclusive entre crianças e em casos em que o DNA está ausente ou está muito alterado, como é comum em análises forenses.

Até agora, era impossível determinar o sexo de uma criança a partir de seu esqueleto, enquanto que, para os adultos, isso só é feito de maneira confiável a partir do estudo da pélvis, que nem sempre é preservada.

Mas a cóclea é diferente em todas as idades, descobriu uma colaboração franco-sul-africana, liderada por José Braga e Chafik Samir, da Universidade Clermont Auvergne (França).

Como a cóclea está entre os ossos mais duros do crânio - um osso que é encontrado com muita frequência em sítios arqueológicos - essa técnica pode determinar o sexo de fósseis muito antigos, mesmo quando fragmentados ou imaturos.

"Nossa observação da forma coclear por sexo, diferente desde o nascimento, provavelmente está associada a processos evolutivos complexos nos humanos modernos, por razões ainda não completamente compreendidas," escreveu a equipe em seu artigo, publicado pela revista Nature Scientific Reports.


Ver mais notícias sobre os temas:

Gênero

Audição

Sexualidade

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.