06/11/2019

Fazer pose para parecer poderoso não tem sustentação científica

Redação do Diário da Saúde
Fazer pose para parecer poderoso não tem sustentação científica
Parece que nenhuma pose especialmente pensada vai fazer você parecer o que não é.
[Imagem: CC0 Public Domain/Pixabay]

Pose só para fotos

Talvez seja melhor guardar as poses para as fotos.

Embora tenham surgido vários estudos científicos defendendo o uso de trejeitos para parecer poderoso, Marcus Credé e colegas da Universidade do Estado de Iowa (EUA) afirmam que nem um único desses estudos fundamenta as alegações de que a representação de poder funcione.

Segundo Credé, fazer uma pose de poder antes de uma reunião ou entrevista importante não vai aumentar sua confiança ou fazer você se sentir mais poderoso - pode até fazer o contrário, sem contar o risco de fazê-lo parecer ridículo.

Poses de poder

O conceito de "pose de poder" - pense em uma postura da Mulher Maravilha ou do Super Homem - ganhou popularidade depois que um estudo de 2010, feito por psicólogos e economistas da Universidade Harvard (EUA), relatou que pessoas que adotavam uma pose física expansiva diminuíam os níveis de cortisol (um indicador de estresse), aumentavam os níveis de testosterona e se sentiam mais poderosos e dispostos a correr riscos.

Logo após a publicação, o estudo recebeu críticas porque os resultados não puderam ser replicados por outros pesquisadores. Em 2018, a equipe respondeu aos críticos apresentando uma análise atualizada de suas próprias pesquisas e outros estudos sobre pose de poder para apoiar suas conclusões.

Foi então que Credé reuniu uma equipe para revisar todos os estudos já publicados sobre as poses de poder, bem como as análises fornecidas pelos pesquisadores. E eles encontraram uma falha significativa.

As poses não foram comparadas

Quase todos os estudos que foram revisados foram mal projetados e não compararam as poses de poder com poses normais. Em vez disso, eles compararam apenas as poses de poder com poses contrativas, como uma que demonstra desleixo.

Credé afirma que não ter uma pose neutra para comparação pode distorcer os resultados porque qualquer diferença entre uma pose de poder e uma pose de contração pode ocorrer porque uma pose de contração poderia fazer você se sentir pior, em vez de ser a pose expansiva que está fazendo você se sentir melhor.

Fazer pose para parecer poderoso não tem sustentação científica
Mas, se você acha que a coisa funciona para você, é bom saber que, para parecer poderoso, deve-se por as mãos, não os pés, sobre a mesa.
[Imagem: University of Buffalo]

A má qualidade dos estudos científicos sobre o tema é ainda mais preocupante, afirma Credé, dada a penetração do assunto na população em geral: Uma palestra TED sobre poses de poder já foi vista mais de 70 milhões de vezes e um livro sobre poses de poder tornou-se um campeão de vendas do New York Times.

"Literalmente nunca houve um estudo que tenha comparado uma pose de poder com uma pose normal e encontrado qualquer efeito positivo para uma pose de poder," resume Credé. "Acho isso impressionante por causa da indústria multimilionária que se construiu em torno da demonstração de poder. Não é diferente de um medicamento ser vendido ao público sem que um único estudo tenha sido capaz de mostrar que o medicamento funciona melhor do que um placebo ou de não se fazer nada."

Mais do que isso, os estudos parecem mostrar até mesmo alguns indícios contrários à adoção das poses de poder.

Sentimentos de poder diminuíram quando comparados à pose neutra

Apenas quatro dos quase 40 estudos que existem sobre poses de poder foram projetados de maneira a esclarecer os eventuais benefícios, disse Credé. Um desses estudos comparou o efeito de poses relaxadas, neutras e de poder sobre sentimentos de dominância. De acordo com os resultados, os sentimentos de dominância foram mais elevados na posição neutra, enquanto a pose de poder foi associada à diminuição dos sentimentos de poder.

Da mesma forma, três outros estudos examinaram os três tipos de poses para determinar seus efeitos no humor. Todos relataram diferenças significativas de humor para diferentes poses, mas Credé afirma que os resultados são explicados pelo efeito negativo da postura contraída.

"A única conclusão que os pesquisadores devem tirar da literatura existente sobre feedback postural é que poses contrativas, como preguiça, devem ser evitadas, o que não é novidade," disse ele. "Lembro-me de meus professores do ensino fundamental nos gritando sobre postura desleixada e não sobre o que está sendo vendido aqui [pela 'indústria' das poses de poder]".

Checagem com artigo científico:

Artigo: A Negative Effect of a Contractive Pose is not Evidence for the Positive Effect of an Expansive Pose: Comment on Cuddy, Schultz, and Fosse
Autores: Marcus Credé
Publicação: Meta-Psychology
Vol.: 3
DOI: 10.15626/MP.2019.1723

Artigo: P-Curving a More Comprehensive Body of Research on Postural Feedback Reveals Clear Evidential Value for Power-Posing Effects: Reply to Simmons and Simonsohn
Autores: Amy J. C. Cuddy, S. Jack Schultz, Nathan E. Fosse
Publicação: Psychological Science
DOI: 10.1177/0956797617746749

Ver mais notícias sobre os temas:

Comportamento

Criatividade

Trabalho e Emprego

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.