27/05/2015

Preservativos femininos deixam de pagar Imposto de Importação

Com informações da Agência Brasil

Os preservativos femininos deixarão de pagar imposto de importação.

Uma resolução da Câmara de Comércio Exterior (Camex) reduziu 10% para 0% o Imposto de Importação do produto.

Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, a redução do imposto sobre as camisinhas femininas foi motivada pela política de prevenção a doenças sexualmente transmissíveis.

Tal qual a camisinha masculina, o preservativo é eficaz para proteger da gravidez indesejada e de DST/HIV/AIDS.

A camisinha feminina deve ser usada em todas as relações sexuais, mesmo durante a menstruação. Pode ser colocada na vagina imediatamente antes da penetração ou até oito horas antes da relação sexual. A camisinha é prática e não atrapalha o prazer sexual.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde Pública

Saúde da Mulher

Sexualidade

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.