29/03/2022

Quais são os empregos e passatempos mais chatos do mundo?

Redação do Diário da Saúde
Quais são os empregos e passatempos mais chatos do mundo?
Há alguns anos, os psicólogos se reuniram para criar uma nova definição de tédio.
[Imagem: CC0 Public Domain/Pixabay]

Empregos e passatempos mais chatos

Depois de examinar mais de 500 pessoas em cinco experimentos, pesquisadores descobriram que os trabalhos mais sem graça do mundo são: Análise de dados, contabilidade, limpeza e serviços bancários.

Eles também descobriram que se envolver com a religião, assistir TV, observar pássaros e fumar não são encarados como hobbies particularmente atraentes.

"A ironia é que estudar o tédio é realmente muito interessante e tem muitos impactos na vida real. Este artigo mostra como as percepções de tédio são persuasivas e que impacto isso pode ter nas pessoas," disse o professor Wijnand Van Tilburg, da Universidade de Essex (Reino Unido).

A grande limitação do estudo é que não foram pesquisados os trabalhos e passatempos em si, e nem mesmo as pessoas que os praticam; o estudo envolveu ouvir os que pessoas comuns - sem embasamento ou conhecimento da área - acham sobre empregos e passatempos em geral, ou seja, opiniões sobre algo que as pessoas não gostariam de fazer porque acham que seria algo chato de se fazer.

"As percepções podem mudar, mas as pessoas podem não ter tempo para conversar com as pessoas com empregos e hobbies [considerados] 'chatos', preferindo evitá-las. Assim, elas não têm a chance de provar que as pessoas estão erradas e quebrar esses estereótipos negativos," reconheceu Van Tilburg.

E essa falta de contato com as pessoas que se acredita ter trabalhos e passatempos chatos pode acabar repercutindo negativamente para aquelas pessoas.

"O próprio fato de as pessoas optarem por evitá-las pode levar ao ostracismo social e aumentar a solidão, levando a um impacto realmente negativo em suas vidas," disse Van Tilburg.

Chato é diferente de ineficiente

Pessoas que têm o estereótipo de fazerem coisas entediantes ou chatas costumam ser evitadas devido ao preconceito. Além disso, o estudo mostrou que ser percebido como entediante transmite uma impressão adicional de baixa competência e baixo calor interpessoal. Aqueles percebidos como fazendo tarefas enfadonhas podem, portanto, estar em maior risco de vícios e problemas de saúde mental.

E, apesar da percepção negativa, a sociedade precisa de pessoas para desempenhar funções como contabilidade e serviços bancários.

"Foi interessante para mim ver que o estudo mostrou que pessoas entediantes não eram vistas como competentes", disse Van Tilburg. "Eu teria pensado que os contadores seriam vistos como enfadonhos, mas eficazes e as pessoas perfeitas para fazer um bom trabalho em sua declaração de imposto de renda. A verdade é que pessoas como bancários e contadores são altamente capazes e têm poder na sociedade - talvez devêssemos tentar não incomodá-los e estereotipá-los como entediantes!"

Os pesquisadores compilaram os resultados do estudo sobre trabalhos e ocupações na forma de listas.

Os cinco empregos mais chatos:

  1. Análise de dados (coleta e análise de dados sobre vendas, pesquisas de mercado, logística etc.)
  2. Contabilidade
  3. Coleta de impostos/Vendedores de seguros
  4. Limpeza
  5. Bancário

Os cinco passatempos mais chatos

  1. Dormir
  2. Religião
  3. Assistir TV
  4. Observação de animais
  5. Matemática

Os cinco empregos mais interessantes

  1. Artes cênicas
  2. Ciência
  3. Jornalismo
  4. Profissional de saúde
  5. Ensino

Checagem com artigo científico:

Artigo: Boring People: Stereotype Characteristics, Interpersonal Attributions, and Social Reactions
Autores: Wijnand A. P. van Tilburg, Eric R. Igou, Mehr Panjwani
Publicação: Personality and Social Psychology Bulletin
DOI: 10.1177/01461672221079104
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Trabalho e Emprego

Diversão

Comportamento

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2022 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.