20/08/2021

Quanto tempo leva para se apaixonar?

Com informações da New Scientist
Quanto tempo leva para se apaixonar?
A linguagem do amor varia muito, mas os cientistas continuam insistindo em questões de acasalamento: Segundo eles, amar é uma questão de evitar competidores.
[Imagem: John William Godward/Wikimedia]

Ciência do amor

É comum ouvir os cientistas falarem em "química do amor", mas se apaixonar não é uma ciência no sentido estrito, e muito menos perfeita.

Apaixonar-se é um processo diferente para cada pessoa e depende de todos os tipos de fatores, desde o quão fisicamente atraente você acha alguém até se você se sente confortável na presença da outra pessoa.

Os cientistas não gostam de colocar as coisas no coração, então eles buscam o amor no cérebro: O que está acontecendo no cérebro quando sentimos aquelas primeiras palpitações ao ver "aquela pessoa"?

Uma das abordagens adotadas é calcular quanto tempo leva para as pessoas se apaixonarem.

Uma pesquisa feita em 2013 pela empresa de pesquisas de mercado YouGov e pelo site de namoro eHarmony descobriu que o tempo gasto desde o primeiro encontro até dizer "Eu te amo" difere entre homens e mulheres. O tempo médio para os homens se apaixonarem é de 88 dias, enquanto os mesmos sentimentos de amor verdadeiro exigem pelo menos 134 dias das mulheres. Outro site de namoro, o Elite Singles, fez uma pesquisa em 2017 e descobriu que 61% das mulheres acreditam no amor à primeira vista, contra 72% dos homens.

Essas pesquisas enfocaram relacionamentos heterossexuais. Outros tipos de relacionamento foram relativamente pouco estudados, embora uma pesquisa com de 2.000 mulheres homossexuais tenha descoberto que, em média, elas declararam seu amor ou compromisso com a parceira após seis meses, o que é mais do que as mulheres heterossexuais levam para declarar seu amor por um homem (180 dias contra 134 dias). Outra pesquisa, do Match.com, feita em 2013, descobriu que 65% dos homens homossexuais acreditam no amor à primeira vista, contra 60% das lésbicas.

Amor científico

Mas, e o que nos dizem os cientistas acerca de como o amor afeta o cérebro?

Neurologicamente falando, os laços que sentimos, e que conhecemos como amor, são devidos aos hormônios oxitocina e vasopressina, que ativam o centro de recompensa em nosso cérebro, garantem eles.

O problema é que o fluir desses hormônios leva uma fração de segundo para chegar ao cérebro, mas isso parece não incomodar os cientistas ou fazê-los questionar suas teorias - alguns microssegundos medidos pela neurociência, contra meses observados na realidade parece ser muita coisa.

Prosseguindo na neurociência, porém, alguns estudos mostraram que apenas olhar para uma pessoa que você ama pode ativar a mesma região do cérebro que cria a sensação de euforia associada a algumas drogas (Veja Apaixonar-se leva 0,2 segundo e tem mesmo efeito que cocaína). Isso poderia significar que "a ciência prova o amor à primeira vista"? Você não encontrará muitos cientistas dispostos a assumir isso.

Perguntas que levam ao amor

Os psicólogos já levam em conta que nossos hormônios não entram em ação apenas quando você encontra um interesse amoroso em potencial. Você tem que conhecer alguém primeiro. O professor Arthur Aron até elaborou um conjunto de perguntas que podem acelerar esse processo e, potencialmente, ajudar os casais a se apaixonarem mais rápido.

Conhecidas como "as 36 perguntas que levam ao amor", essas questões requerem que duas pessoas estejam abertas à possibilidade de relacionamento e compartilhem experiências de vida, que podem aumentar a intimidade e, potencialmente, levar ao amor. No entanto, não são perguntas rápidas, então pode demorar um pouco para responder a todas elas, e as duas pessoas acabarão se conhecendo bem e discutindo temas que interessam a ambas - enfim, um solo fértil para brotar senão o amor, pelo menos um interesse real.

Enquanto isso, com o aumento dos aplicativos de namoro, especialmente durante os bloqueios da pandemia de coronavírus, as pessoas têm encontrado o amor mesmo sem estar no mesmo lugar.

Uma pesquisa de 2021 do aplicativo de namoro Bumble descobriu que 67% das pessoas agora acreditam que é possível se apaixonar por alguém que você nem conheceu pessoalmente. Então, talvez o tempo que leva para se apaixonar seja simplesmente o tempo no qual você consegue responder às mensagens de texto. Os neurocientistas, com seus microssegundos, gostaram dessa ideia.

Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Relacionamentos

Sentimentos

Mente

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.