04/04/2019

Rir pode ser o melhor remédio durante uma cirurgia no cérebro

Redação do Diário da Saúde
Rir pode ser o melhor remédio durante uma cirugia no cérebro
A ativação de uma área específica do cérebro fez a paciente rir e se sentir bem durante uma cirurgia no cérebro em que ela não podia estar sedada.
[Imagem: Bijanki et al (2019)/ASCI]

Cirurgia com paciente acordado

Neurocientistas descobriram uma rota no cérebro que, quando estimulada eletricamente, provoca o riso imediato, seguido por uma sensação de calma e felicidade, mesmo durante uma cirurgia no cérebro.

Os efeitos da estimulação foram observados em uma paciente com epilepsia submetida a um monitoramento para o diagnóstico de crises em uma cirurgia de crânio aberto.

Curiosamente, essa cirurgia deve ser feita com o paciente acordado. Para otimizar a proteção das funções cerebrais críticas durante a cirurgia, os pacientes não podem estar sedados, para que os médicos possam conversar com eles, avaliar suas habilidades na fala e detectar deficiências que possam surgir da ressecção da área envolvida nas crises epilépticas.

O curioso efeito calmante foi então aproveitado para ajudar a paciente a suportar a cirurgia com tranquilidade.

Os efeitos comportamentais da estimulação elétrica direta de uma área do cérebro conhecida como feixe de cíngulo, um trato da substância branca no cérebro, foram confirmados em dois outros pacientes com epilepsia submetidos a monitoramento diagnóstico.

Tratar outros distúrbios

Os neurocirurgiões veem a técnica como uma maneira "potencialmente transformadora" de acalmar alguns pacientes durante uma cirurgia cerebral acordada, mesmo para pessoas que não estão especialmente ansiosas.

"Mesmo os pacientes bem preparados podem entrar em pânico durante uma cirurgia acordada, o que pode ser perigoso," disse a Dra Kelly Bijanki. "Essa paciente em particular estava especialmente propensa a isso devido à ansiedade moderada. Ao despertar da anestesia global, ela realmente entrou em pânico. Quando ligamos a estimulação do cíngulo, ela imediatamente relatou sentir-se feliz e relaxada, contou piadas sobre sua família e foi capaz de tolerar o procedimento acordado com sucesso."

Além do uso durante a cirurgia acordada, entender como funciona a estimulação do feixe de cíngulo também poderá subsidiar esforços para melhor tratar a depressão, transtornos de ansiedade ou a dor crônica por meio de estimulação cerebral profunda, dizem os pesquisadores.


Ver mais notícias sobre os temas:

Neurociências

Cérebro

Cirurgias

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.