18/10/2021

Saia do rebanho para tomar uma decisão melhor

Redação do Diário da Saúde
Saia do rebanho para tomar uma decisão melhor
Aquela decisão parece boa para as outras pessoas; mas ela é a melhor para você?
[Imagem: OSU]

Consenso de grupo

Nós captamos informações valiosas quando observamos quanto tempo os outros hesitam antes de tomar suas decisões.

Psicólogos descobriram que, quando as pessoas observam outros membros em seu grupo hesitando antes de fazer uma escolha, elas têm uma probabilidade até duas vezes maior de se separar da maioria e fazer uma escolha diferente.

"Quando vemos outras pessoas hesitarem antes de fazer uma escolha, isso nos mostra que elas estavam em conflito, que não estavam inteiramente certas de que estavam tomando a decisão certa," conta Ian Krajbich, da Universidade Estadual de Ohio (EUA). "Isso torna as pessoas menos confiantes no consenso do grupo e as libera para tomar decisões com base em suas próprias informações. Isso pode ajudar os grupos a escapar de maus resultados."

Esta descoberta têm implicações para o comportamento de grupo na política, nas finanças, na moda, enfim, em qualquer situação em que possa haver "comportamento de rebanho", disse Krajbich.

"Mesmo que pareça à primeira vista que todos estão seguindo a mesma tendência, a hesitação pode revelar que nem todos estão na mesma página," acrescentou o psicólogo. "Se as pessoas começarem a notar que os outros estão hesitando antes de se juntarem ao rebanho, isso pode deter o ímpeto ou mudá-lo totalmente."

Por exemplo, pense em uma campanha política em que um candidato busca o endosso de políticos populares. Endossos demorados, que chegam no final de uma campanha, podem indicar um suporte fraco e são menos convincentes do que os endossos que vêm no início de uma campanha.

Efeito reverso

Mas, em se tratando do ser humano, as coisas sempre podem ser um pouco mais complicadas: Acontece que o mesmo fenômeno também pode funcionar de maneira oposta.

Decisões rápidas de outras pessoas podem reforçar as próprias opiniões, o que pode validar primeiras impressões sem que elas sejam necessariamente frutos de uma boa reflexão ou de uma reflexão pessoal.

Por isso, Krajbich ressalta que as conclusões deste estudo não são necessariamente uma regra universal: Pode haver algumas decisões para as quais levar mais tempo para escolher pode indicar uma escolha mais cuidadosa.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Using Response Times to Infer Others Private Information: An Application to Information Cascades
Autores: Cary Frydman, Ian Krajbich
Publicação: Management Science
DOI: 10.1287/mnsc.2021.3994
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Comportamento

Relacionamentos

Sentimentos

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.