02/01/2020

Sangue para transfusão pode não ser tão puro quanto se pensa

Redação do Diário da Saúde
Sangue para transfusão pode não ser tão puro quanto se pensa
Esta é uma daqueles ocasiões em que você deve dizer não ao seu médico: Transfusão, só em último caso.
[Imagem: Oregon State University/Divulgação]

Contaminação do sangue

Cientistas da Universidade do Estado de Oregon (EUA) podem ter provado o quanto as pessoas adoram café, chá, chocolate, refrigerante e bebidas energéticas.

E eles fizeram isso por um caminho inusitado: Ao validarem seu novo método para estudar como diferentes drogas interagem no corpo e vão parar no nosso sangue.

Usando espectrometria de massa, Richard van Breemen e Luying Chen trabalharam com vários fornecedores biomédicos nos EUA para comprar 18 lotes de soro de sangue humano supostamente puro, reunidos de vários doadores. Esses fornecedores obtêm seu material dos bancos de sangue, que repassam o estoque que está chegando ao fim do prazo de validade.

Todos os 18 lotes testados deram positivo para cafeína. E, em muitas das amostras, os pesquisadores encontraram vestígios de remédios para tosse e um medicamento anti-ansiedade.

Os resultados apontam para o potencial de transfusões de sangue contaminadas, e também sugerem que o sangue usado na pesquisa não é necessariamente puro, diz a equipe.

"Do ponto de vista da 'contaminação', a cafeína não é uma grande preocupação para os pacientes, embora possa ser um comentário sobre a sociedade atual," afirmou Chen. "Mas os outros medicamentos presentes podem ser um problema para os pacientes, além de representar um problema para aqueles de nós que fazem esse tipo de pesquisa porque é difícil obter amostras de sangue limpas".

Transfusão com remédios

Além da cafeína, os pesquisadores também testaram o soro combinado para alprazolam, um medicamento contra ansiedade e síndrome do pânico vendido sob o nome comercial de Xanax®, para dextrometorfano, um supressor de tosse vendido sem receita, e para tolbutamida, um medicamento usado para tratar diabetes tipo 2.

Todo o soro estava livre de tolbutamida, mas oito amostras continham dextrometorfano e 13 continham alprazolam - possivelmente significando que, se você precisar de uma transfusão de sangue, suas chances de receber cafeína, remédio para tosse e um medicamento anti-ansiedade são muito boas.

"O estudo leva você nessa direção, embora sem fazer uma pesquisa abrangente com fornecedores e bancos de sangue nós possamos apenas especular sobre a extensão do problema," disse van Breemen. "Outra coisa a considerar é que encontramos drogas que procurávamos ao fazer a validação do ensaio de interação medicamentosa - quantas outras também não estavam lá que não procurávamos?"

Checagem com artigo científico:

Artigo: Validation of a sensitive UHPLC-MS/MS method for cytochrome P450 probe substrates caffeine, tolbutamide, dextromethorphan, and alprazolam
Autores: Luying Chen, Richard B. van Breemen
Publicação: Journal of Pharmaceutical and Biomedical Analysis
Vol.: 112983
DOI: 10.1016/j.jpba.2019.112983

Ver mais notícias sobre os temas:

Contaminação

Sistema Circulatório

Cirurgias

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.