Sensor detecta na hora hormônio envolvido em desordens mentais

Sensor detecta na hora hormônio envolvido em desordens mentais

[Imagem: Abraham Vázquez-Guardado et al. - 10.1021/acs.nanolett.8b04253/UCF]

Exame de dopamina

A nanotecnologia permitiu construir o primeiro detector rápido de dopamina, uma substância natural presente em nosso organismo que os cientistas acreditam desempenhar um papel em várias doenças.

Estudos indicam que muita dopamina pode estar associada a alguns tipos de câncer, enquanto níveis baixos de dopamina podem estar associados à doença de Parkinson e à depressão.

Além disso, considerada por muito tempo pela ciência como o "hormônio da felicidade", sabe-se agora que a dopamina tem um lado sombrio. Essa substância parece ter uma personalidade yin-yang, agindo no prazer e na dor.

Biochip

A nova técnica de medição requer apenas um pequeno biochip e algumas gotas de sangue, e os resultados saem em minutos, em vez de horas, porque não é necessário ir até um laboratório para processar a amostra.

O plasma é separado do sangue dentro do biochip. Nanopartículas de óxido de cério, que recobrem a superfície do sensor, capturam seletivamente a dopamina em níveis microscópicos do plasma. As moléculas de dopamina capturadas alteram como a luz é refletida pelo sensor, criando uma leitura óptica indicando o nível de dopamina naquela amostra de sangue.

"Fazer com que o sensor seja sensível à dopamina foi um grande desafio para os pesquisadores por um bom tempo, mas usar nanoestruturas alteradas de óxido de cério na plataforma de detecção foi fundamental para fazer o sensor funcionar. Não há necessidade de nenhum pré-processamento. Nosso plano era fazer um tipo de detecção muito mais rápido e sem enzimas," conta Sudipta Seal, da Universidade Central da Flórida (EUA).

A nova tecnologia foi descrita em um estudo publicado na revista Nano Letters.


Ver mais notícias sobre os temas:

Biochips

Exames

Neurociências

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2018 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.