22/05/2019

Tatuagens inteligentes serão aplicadas sem agulhas - e sem dor

Redação do Diário da Saúde
Tatuagens inteligentes serão aplicadas sem agulhas - e sem dor
Um laser aquece o líquido em um microcanal. Uma bolha de vapor cresce rapidamente, fazendo com que o líquido (contendo medicação ou tinta) seja ejetado para fora do canal em alta velocidade, entrando pela pele.
[Imagem: 10.1063/1.5074176]

Tatuagens eletrônicas

Que tal uma tatuagem que emita um alerta quando você ficar tempo demais ao Sol, ou avisa que é hora de tomar sua medicação?

Ao lado de seu papel cosmético, que faz um sucesso crescente em todas as faixas etárias, as tatuagens podem assumir novas funcionalidades usando "tintas inteligentes" que já estão disponíveis comercialmente. O desafio é que aplicar esses compostos semicondutores na pele exigiria uma técnica de injeção mais precisa, menos invasiva e menos dolorida.

David Fernández Rivas e seus colegas da Universidade de Twente (Holanda) acabam de desenvolver uma tecnologia de injeção de tintas de tatuagem que cumpre todos esses requisitos.

A aplicação não é feita por agulhas, mas por microjatos líquidos ultrarrápidos, com a espessura de um fio de cabelo humano. Só o líquido penetra na pele, quase sem dor e sem desperdício de tinta.

A técnica emprega um laser para aquecer rapidamente o fluido dentro de um microcanal em um chip de vidro, do mesmo tipo dos biochips. Com a tinta aquecida em uma fração de segundo acima do ponto de ebulição, uma bolha de vapor se forma e cresce, empurrando o líquido para fora a velocidades de até 100 metros por segundo (360 km/h). O jato finíssimo atravessa a pele humana e fixa-se, formando a tatuagem.

"Você não sente muito, não mais do que uma picada de mosquito," garante Rivas.

Tatuagem sem agulha

Os pesquisadores fizeram seus experimentos com várias tintas eletrônicas disponíveis comercialmente. Em comparação com as técnicas tradicionais de tatuagem, manuais ou automatizadas, o microjato minimiza os danos à pele e a eficiência da injeção é maior - e não há risco de agulhas contaminadas.

O protótipo dispara jatos únicos, enquanto uma tatuagem real frequentemente usa várias agulhas com diferentes tipos ou cores de tinta. Além disso, o volume que pode ser disparado pelo microjato precisa aumentar. Estes são os próximos passos no desenvolvimento da tecnologia da tatuagem sem agulha.

Rivas afirma que sua equipe já está trabalhando nisso, e espera ter pronto em pouco tempo o equipamento que poderá viabilizar as tatuagens inteligentes.


Ver mais notícias sobre os temas:

Sensores

Cuidados com a Pele

Cirurgias Plásticas

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2018 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.