25/02/2022

Adesivo fornece insulina grudado dentro da bochecha

Redação do Diário da Saúde
Adesivo fornece insulina grudado dentro da bochecha
O adesivo fica confortavelmente dentro da bochecha para administrar insulina.
[Imagem: Anna Voronova et al. - 10.1021/acsabm.1c01161]

Insulina pela bochecha

Gerenciar os níveis de açúcar no sangue requer atenção 24 horas por dia das pessoas diagnosticadas com diabetes.

Uma dieta mais saudável e maior atividade física podem ajudar, mas muitos também precisam tomar injeções regulares de insulina - o principal hormônio que regula o açúcar.

Para administrar esse medicamento de maneira menos invasiva, pesquisadores estão desenvolvendo um novo tipo de adesivo, carregado de insulina, que adere confortavelmente ao interior da bochecha de uma pessoa, liberando o medicamento aos poucos.

Inúmeros cientistas exploraram outras maneiras de fornecer insulina através da pele, como loções e pomadas, mas a pele é uma barreira muito boa, e os medicamentos se movem muito lentamente através dela.

Por outro lado, a membrana que reveste o interior da boca é muito fina, com cerca de um quarto da espessura da pele, tornando-a um local muito bom para que os medicamentos entrem facilmente na corrente sanguínea.

Então, Anna Voronova e colegas da Universidade de Lille (França) se voltaram para as bochechas, aproveitando um material que eles haviam desenvolvido anteriormente, um "tapete" de fibra de polímero que é ativado pelo calor para liberar drogas.

Foi então uma questão de encontrar um adesivo biocompatível e resistente à umidade para criar uma espécie de curativo - um emplastro - que gruda na parte interna da bochecha e libera a insulina aos poucos.

Emplastro de insulina

A equipe testou os adesivos carregados de insulina nos revestimentos das bochechas e nas córneas de porcos. No estágio atual, o material precisa ser ativado uma luz infravermelha por 10 minutos. O emplastro então liberou insulina nos dois tipos de membranas várias vezes mais rápido do que através da pele.

Assim que o material foi ativado, os níveis de açúcar no sangue dos porcos diminuíram. Simultaneamente, os níveis de insulina no plasma dos animais aumentaram, o que os pesquisadores dizem ser a prova de conceito de que essa plataforma preliminar é eficiente em fornecer insulina à corrente sanguínea.

Finalmente, seis voluntários humanos colocaram uma versão placebo do adesivo dentro de suas bochechas, para testar o conforto, sendo que todos se sentiram confortáveis pelo período de duas horas, o tempo que se estima que um paciente precisaria usar o emplastro. O próximo passo será realizar pré-clínicos do protótipo em modelos animais.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Photothermal Activatable Mucoadhesive Fiber Mats for On-Demand Delivery of Insulin via Buccal and Corneal Mucosa
Autores: Anna Voronova, Cristina Prieto, Maria Pardo-Figuerez, Jose Maria Lagaron, Amitav Sanyal, Bilal Demir, Thomas Hubert, Valerie Plaisance, Valerie Pawlowski, Séverine Vignoud-Despond, Alexandre Barras, Amar Abderrahmani, Rabah Boukherroub, Sabine Szunerits
Publicação: ACS Applied Bio Materials
DOI: 10.1021/acsabm.1c01161
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Medicamentos

Saúde Bucal

Cuidados com a Pele

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2022 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.