07/06/2022

Canabinoides podem auxiliar no tratamento de doenças neurológicas

Com informações da Agência Brasil
Canabinoides podem auxiliar no tratamento de doenças neurológicas
Os canabinoides tornaram-se fundamentais no tratamento da epilepsia. Mas também é possível otimizar os próprios endocanabinoides agindo sobre as bactérias intestinais.
[Imagem: Lambert Initiative for Cannabinoid Therapeutics/University of Sydney]

Canabinoide

Pesquisadores brasileiros demonstraram como o canabinoide, a substância ativa encontrada na maconha (Cannabis sativa), pode auxiliar no tratamento de doenças neurológicas e psiquiátricas.

"A gente sabe muito sobre o efeito dos canabinoides, endocanabinoides ou sintéticos sobre os neurônios. Estamos aprendendo agora que essas substâncias também atuam sobre as células da glia," disse Daniel Souza, pesquisador da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

O nome glia significa cola em grego, porque, no passado, os pesquisadores achavam que essas células ligavam os neurônios uns nos outros, funcionando apenas como células de suporte. Nas últimas duas décadas, no entanto, descobriu-se que elas executam funções importantes no cérebro - você sabia que só 15% do seu cérebro são neurônios?

Oligodendrócitos

Esta nova pesquisa analisou a interação de um dos tipos de células da glia, chamada oligodendrócito, com os canabinoides. O oligodendrócito é responsável por produzir a bainha de mielina, que faz o "encapamento" dos axônios, que são o meio de comunicação entre os neurônios. "Para o neurônio conseguir conversar com outro por meio de impulsos elétricos, ele precisa de um encapamento no fio, vamos assim dizer," explicou Daniel, comparando com os fios de energia elétrica.

Os pesquisadores observaram que os canabinoides promovem a proliferação dos oligodendrócitos, o que tem amplo alcance, envolvendo inúmeras condições neurológicas e psiquiátricas.

Depressão e esquizofrenia estão entre as condições que podem se beneficiar dessa descoberta. "Todas as eventuais doenças que têm perda de oligodendrócitos poderiam se beneficiar," afirma o especialista.

A pesquisa também mostrou que, com os canabinoides, os oligodendrócitos amadurecem melhor. "Isso abre novas avenidas pra gente investigar potenciais tratamentos de doenças," disse Daniel.

O que são canabinoides

Além do canabinoide extraído de plantas do gênero cannabis, o canabidiol, o próprio organismo humano produz a substância, chamada endocanabinoide.

"Foi descoberto que os compostos da cannabis se ligam a receptores no cérebro, que passaram a ser conhecidos como receptores canabinoides. O que a gente descobriu a posteriori é que o nosso organismo produz substâncias que interagem com esses mesmos receptores. Tudo isso é chamado de canabinoide," explicou o pesquisador.

Neste estudo foram testados compostos extraídos de plantas do gênero cannabis, como o canabidiol, endocanabinoides e canabinoides sintéticos.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Cannabinoids modulate proliferation, differentiation, and migration signaling pathways in oligodendrocytes
Autores: Valéria de Almeida, Gabriela Seabra, Guilherme Reis-de-Oliveira, Giuliana S. Zuccoli, Priscila Rumin, Mariana Fioramonte, Bradley J. Smith, Antonio W. Zuardi, Jaime E. C. Hallak, Alline C. Campos, José A. Crippa, Daniel Martins-de-Souza
Publicação: European Archives of Psychiatry and Clinical Neurosciences
DOI: 10.1007/s00406-022-01425-5
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Plantas Medicinais

Medicamentos Naturais

Neurociências

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2022 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.