20/07/2021

Cinco minutos de exercício respiratório controlam pressão arterial

Redação do Diário da Saúde
Cinco minutos de exercício respiratório baixa pressão
Existem vários aparelhos deste tipo disponíveis comercialmente.
[Imagem: Casey A. Cass/University of Colorado]

Treinamento de força para os músculos respiratórios

Apenas cinco minutos por dia de uma prática chamada "treinamento de força para os músculos respiratórios" reduz a pressão arterial e melhora indicadores de saúde vascular com a mesma eficácia - ou até mais - que exercícios aeróbicos ou medicamentos receitados para tratar a hipertensão.

Esta parece ser uma ótima notícia sobretudo para os adultos mais velhos.

Estima-se que 65% dos adultos com mais de 50 anos tenham pressão arterial acima do normal, o que os coloca em maior risco de ataque cardíaco ou derrame. No entanto, menos de 40% desses pacientes atendem às diretrizes recomendadas de exercícios aeróbicos.

"Existem muitas estratégias de estilo de vida que sabemos que podem ajudar as pessoas a manter a saúde cardiovascular à medida que envelhecem. Mas a realidade é que essas estratégias demandam muito tempo e esforço e podem ser caras e difíceis de acessar para algumas pessoas. Este exercício pode ser feito em cinco minutos em sua própria casa enquanto você assiste TV," disse Daniel Craighead, da Universidade do Colorado em Boulder (EUA).

Melhor que aeróbica ou medicamento

Desenvolvido na década de 1980 como uma forma de ajudar pacientes com doenças respiratórias em estado crítico a fortalecer o diafragma e outros músculos inspiratórios, o treinamento de força para os músculos respiratórios envolve a inspiração vigorosa por meio de um aparelho portátil que fornece resistência à passagem do ar.

Para esta análise comparativa, os pesquisadores recrutaram 36 adultos saudáveis, com idades entre 50 e 79 anos, com pressão arterial sistólica acima do normal. Metade fez 30 inalações por dia durante seis semanas e a outra metade fez um protocolo de placebo, no qual a resistência à inspiração era muito menor.

Depois de seis semanas, o grupo que fez o exercício de respiração forçada viu sua pressão arterial sistólica (o número maior) cair nove pontos em média, uma redução que geralmente excede a alcançada caminhando 30 minutos por dia, cinco dias por semana. Esse declínio também é igual aos efeitos de alguns medicamentos para baixar a pressão arterial.

E mesmo seis semanas depois de parar de fazer os exercícios, o grupo da inalação forçada mantinha a maior parte da melhoria obtida.

"Nós descobrimos que [o treinamento de força respiratória] não só é mais eficiente em termos de tempo do que os programas de exercícios tradicionais, como os benefícios podem ser mais duradouros," ressaltou Craighead.

Os cientistas ainda não sabem como uma manobra para fortalecer os músculos respiratórios acaba baixando a pressão arterial, mas eles suspeitam que o treinamento faça com que as células que revestem os vasos sanguíneos produzam mais óxido nítrico, permitindo que os vasos relaxem, diminuindo a pressão arterial.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Time-Efficient Inspiratory Muscle Strength Training Lowers Blood Pressure and Improves Endothelial Function
Autores: Daniel H. Craighead, Thomas C. Heinbockel, Kaitlin A. Freeberg, Matthew J. Rossman, Rachel A. Jackman, Lindsey R. Jankowski, Makinzie N. Hamilton, Brian P. Ziemba, Julie A. Reisz, Angelo D’Alessandro, L. Madden Brewster, Christopher A. DeSouza, Zhiying You, Michel Chonchol, E. Fiona Bailey, Douglas R. Seals
Publicação: Journal of American Heart Association
Vol.: 0:e020980
DOI: 10.1161/JAHA.121.020980
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Sistema Respiratório

Atividades Físicas

Coração

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.