31/05/2021

Descoberto novo alvo para eliminar bactérias resistentes a antibióticos

Redação do Diário da Saúde
Descoberto novo alvo para eliminar bactérias resistentes a antibióticos
Não são só as bactérias que estão vencendo os medicamentos: Alguns fungos estão se espalhando por hospitais de todo o mundo.
[Imagem: Shawn Lockhart/CDC]

Custo das mutações

As doenças decorrentes da resistência dos patógenos - bactérias, vírus, fungos etc. - a medicamentos são uma ameaça global de saúde pública, contabilizando anualmente cerca de 700.000 mortes.

Os antibióticos, em particular, tornam-se ineficazes porque as bactérias adquirem mutações de resistência, que frequentemente modificam a estrutura no microrganismo que funciona como alvo desses medicamentos. Outrora o ponto fraco das bactérias, os alvos modificados tornam-se uma arma de evasão aos antibióticos.

Normalmente, contudo, estas mutações têm consequências negativas para as bactérias, de forma que a manutenção da resistência aos antibióticos depende em parte dos efeitos negativos que essas mutações implicam para as bactérias.

Assim, a magnitude desses efeitos - o "custo" que a mutação tem para a bactéria - é a chave para diminuir a prevalência da resistência numa população uma vez removido o antibiótico.

Pesquisadores portugueses obtiveram agora informações até então desconhecidas das mutações genéticas envolvendo a fisiologia e a evolução das bactérias, o que abre novas oportunidades para desenvolver terapias e protocolos para fazer face a este desafio global.

"Encontrar o 'calcanhar de Aquiles' da resistência aos antibióticos tem sido central na nossa investigação. Existem muitas formas de uma resistência ser custosa para uma bactéria e nós conseguimos encontrar uma nova, da qual podemos tirar partido," contou a professora Isabel Gordo, do Instituto Gulbenkian de Ciências (Portugal) e líder da equipe. "Olhamos para a Escherichia coli, uma bactéria comum no nosso intestino, e descobrimos que as mutações de resistência promovem quebras no seu DNA, que são extremamente nefastas para as células bacterianas".

Transcrição e tradução genética

Alguns custos associados à resistência aos antibióticos podem estar escondidos em processos como a transcrição, que lê a informação genética, ou a tradução, que transforma o que foi lido numa proteína.

"Certas estruturas que operam durante a transcrição, chamadas R-loops, promovem quebras no DNA. Quando removemos a proteína que degrada os R-loops em bactérias resistentes a antibióticos, observamos que estas se extinguem muito rápido, tanto em condições de laboratório como no intestino de camundongos. O envolvimento desta proteína na prevenção de quebras no DNA é crucial para controlar o custo da resistência aos antibióticos," disse o pesquisador Roberto Balbontín.

"Esta proteína é um dos 'calcanhares de Aquiles' das bactérias resistentes a antibióticos e as nossas futuras estratégias para erradicá-las podem passar pela sua inibição," ressaltou a professora Isabel.

Checagem com artigo científico:

Artigo: DNA Breaks-Mediated Fitness Cost Reveals RNase HI as a New Target for Selectively Eliminating Antibiotic-Resistant Bacteria
Autores: Roberto Balbontín, Nelson Frazão, Isabel Gordo
Publicação: Molecular Biology and Evolution
DOI: 10.1093/molbev/msab093
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Bactérias

Vírus

Medicamentos

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.