16/02/2022

Edição genética CRISPR-Cas9 pode gerar mutações que passam para os filhos

Redação do Diário da Saúde
Edição genética CRISPR-Cas9 pode gerar mutações que passam para os filhos
As mutações não apenas não eram previstas, como passaram para as próximas gerações.
[Imagem: Ida Hoijer et al. - 10.1038/s41467-022-28244-5]

Riscos da CRISPR-Cas9

A CRISPR-Cas9, a famosa "tesoura genética" que ganhou o Prêmio Nobel de 2020, foi anunciada como uma nova ferramenta para a cura de doenças.

Logo depois, contudo, começaram a surgir indícios de que a edição genética não era tão precisa quanto se acreditava, levantando preocupações quanto à confiabilidade de qualquer tratamento baseado na técnica.

De fato, Ida Hoijer e seus colegas da Universidade de Uppsala (Suécia) acabam de descobrir que a técnica CRISPR-Cas9 pode dar origem a mudanças imprevistas no DNA, e não apenas no indivíduo objeto da manipulação genética: As mudanças no DNA podem ser herdadas pela próxima geração.

De posse de seus resultados, a equipe emitiu um alerta, recomendando cautela e validação meticulosa antes que se pense em usar a CRISPR-Cas9 para fins médicos.

CRISPR-Cas9 gerando mudanças hereditárias

Na área da saúde, a edição do genoma abre espaço para a cura de inúmeras doenças genéticas, desde que o DNA seja modificado corretamente e não sofra alterações inesperadas. Até o momento, essas mutações indesejadas foram estudadas em células, mas o conhecimento das consequências em organismos vivos permanece limitado.

Quando a equipe sueca estudou o genoma de mais de 1.000 peixes-zebra de duas gerações, eles identificaram mutações inesperadas de vários tipos.

Para começar, o uso simples da técnica CRISPR-Cas9 gerou, em alguns casos, alterações em áreas do DNA maiores do que as previstas, enquanto em outros casos as mutações ocorreram no local errado do genoma. E as mutações imprevistas foram encontradas não apenas na primeira geração, mas também nos descendentes dos indivíduos objeto da manipulação genética.

"Saber que essas mutações inesperadas são hereditárias é importante, uma vez que elas podem ter consequências a longo prazo para as gerações futuras. Mas isso só pode acontecer se você alterar o genoma de embriões ou células germinativas," destaca Hoijer.

Cautela e validação

Na área da saúde, estão sendo desenvolvidos métodos adaptados para corrigir genes em um determinado tecido ou tipo de célula. Embora esses tratamentos não representem riscos para as gerações futuras, é aconselhável cautela, destaca a equipe.

"A CRISPR-Cas9 pode ser uma ferramenta incrivelmente valiosa na área da saúde. Mas precisamos minimizar o risco de efeitos indesejados, e podemos fazer isso validando cuidadosamente as células modificadas com as mais recentes tecnologias de sequenciamento de DNA," aconselhou o professor Adam Ameur, coordenador da equipe.

Checagem com artigo científico:

Artigo: CRISPR-Cas9 induces large structural variants at on-target and off-target sites in vivo that segregate across generations
Autores: Ida Hoijer, Anastasia Emmanouilidou, Rebecka Ostlund, Robin van Schendel, Selma Bozorgpana, Marcel Tijsterman, Lars Feuk, Ulf Gyllensten, Marcel den Hoed, Adam Ameur
Publicação: Nature Communications
Vol.: 13, Article number: 627
DOI: 10.1038/s41467-022-28244-5
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Genética

Ética

Gravidez

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2022 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.