03/09/2019

Então a asma pode mesmo matar?

Com informações da SBPT
Então a asma pode mesmo matar?
Recentemente, pesquisadores brasileiros descobriram uma rota para interromper a asma alérgica.
[Imagem: Ministério da Saúde/Divulgação]

Asma fatal

Recentemente a escritora e apresentadora Fernanda Young, de 49 anos, foi vítima fatal de uma crise de asma seguida de parada cardiorrespiratória.

A notícia assustou muita gente, uma vez que não é comum notícias envolvendo óbitos associados com a asma.

"Essa é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas e, se não for tratada com o devido cuidado, pode levar a óbito," confirmou Tatiana Galvão, da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT).

Esses eventos mais dramáticos envolvem a forma mais grave da asma, que pode causar um ataque súbito acompanhado de parada respiratória.

"Na maioria dos casos de asma fatal, os sintomas aparecem com mais de um dia de evolução e se devem à associação de fatores como falta do uso de medicamentos de controle (os corticoides inalatórios), falta de adesão ao tratamento e de consultas regulares com o médico para seguir um plano de ação em caso de crises," disse Tatiana.

As crises de asma são geralmente disparadas por fatores externos, os chamados alérgenos. "Os mais comuns são: inalação de poeira, mofo, fumaça e produtos químicos como tintas, perfumes e aerossóis, mudança brusca de temperatura, tempo frio, tempo seco, umidade, resfriados ou gripes, exercício físico e estresse," enumerou Tatiana.

Alguns medicamentos também podem desencadear asma, incluidos os beta-bloqueadores para controle da pressão arterial, colírios para glaucoma, aspirina e outros anti-inflamatórios não corticoides.

Asma

O exame para detectar a asma é a espirometria, que avalia a função pulmonar. A história clínica, o exame físico, além de testes de laboratório também são importantes para o diagnóstico.

O Sistema Único de Saúde (SUS) fornece tratamento gratuito desde 2011 aos asmáticos por meio do Programa Farmácia Popular. Medicamentos como brometo de ipratrópio, dirpoprionato de beclometasona e sulfato de salbutamol podem ser obtidos, gratuitamente, com a apresentação do CPF e da receita médica.

Como não existe uma cura, o objetivo do tratamento da asma é melhorar a qualidade de vida da pessoa, por meio do controle dos sintomas e pela melhora da função pulmonar. O tratamento medicamentoso é realizado junto com medidas educativas e de controle dos fatores que podem provocar a crise asmática.

O muco (secreção) é uma importante proteção das vias respiratórias. Quando o tempo está seco e frio, o muco fica mais espesso e mais difícil de sair e, por isso, as bactérias e vírus não são totalmente expelidos pelos pulmões.

Associado a um sistema imunológico mais enfraquecido, exposição à poluição atmosférica, entre outros fatores, pode haver mais incidência de crises alérgicas de asma e rinite nessas condições, além de infecções, como a pneumonia.


Ver mais notícias sobre os temas:

Sistema Respiratório

Alergias

Prevenção

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.