14/12/2020

Exame de covid-19 poderá ser feito pela saliva, principalmente em crianças

Redação do Diário da Saúde
Exame de covid-19 poderá ser feito pela saliva, principalmente em crianças
O objetivo é facilitar a realização de exames para que as pessoas infectadas possam se isolar mais rapidamente.
[Imagem: IGC]

Exame de covid pela saliva

A única forma de reduzir a transmissão do vírus SARS-CoV-2 e deter a sua circulação é recorrer ao método tradicional no controle epidemiológico: a rápida identificação de potenciais infectados, a sua rede de contatos, fazer exames e isolar os infectados.

Isso porque o vírus pode infectar pessoas sem que estas apresentem sintomas, mas que mesmo assim transmitem ativamente o vírus - de fato, a carga viral em pacientes assintomáticos é maior do que nos pacientes com sintomas de covid-19.

O problema é que os exames disponíveis não têm oferecido a qualidade necessária dos resultados e não são tão simples de serem feitos pela população como seria desejável.

Por isso, uma equipe do Instituto Gulbenkian de Ciência (Portugal) começou a estudar a viabilidade da utilização de saliva como amostragem eficaz na detecção de pessoas infetadas com covid-19, em adultos e crianças. "O método de testagem atual é extremamente invasivo, principalmente para as crianças, envolve uma logística grande e dispendiosa e por isso é estratégico encontrar opções com claras vantagens para a população, pacientes e para o sistema nacional de saúde," justificou a professora Maria João Amorim, que lidera o estudo.

Saliva em vez de meleca

Até ao momento, o método foi validado com sucesso em cerca de 80 pessoas hospitalizadas onde, entre outros, se comparou a eficácia da saliva face à amostra nasofaríngea, tendo sido obtidos resultados muito promissores.

Com os bons resultados, a equipe passará agora à segunda fase, envolvendo um total de 300 pessoas, 33% das quais sabidamente infectadas, de todas as faixas etárias.

Eles pretendem dar ênfase especial ao exame de crianças, nas quais é mais difícil usar o método de coletar meleca do nariz.

"Este projeto é fundamental para validar se as colheitas das amostras da saliva podem ser uma alternativa para todos os grupos etários pediátricos, desde o recém-nascido até aos 18 anos. Se se demonstrar eficaz pode ser no futuro uma forma de colheita fácil de realizar e, claro, muito menos desagradável para o doente. Adicionalmente pode permitir alargar a capacidade de testagem nas diferentes faixas etárias e ajudar a caracterizar a prevalência e a doença na idade pediátrica," disse a pesquisadora.

Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Exames

Vírus

Prevenção

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.