07/08/2020

Implante coclear de luz restaura audição em cobaias

Redação do Diário da Saúde
Implante coclear de luz restaura audição em cobaias
Implante coclear óptico moldado em silicone submetido a um teste de flexão para mostrar sua resistência.
[Imagem: D. Keppeler et al. - 10.1126/scitranslmed.abb8086]

LEDs para curar audição

Um novo implante coclear óptico, baseado em luzes de LED, permitiu restaurar parcialmente a sensação de audição em cobaias antes totalmente surdas.

Parece ser a notícia perfeita depois do anúncio, há pouco mais de uma semana, de que cientistas restauraram a visão de animais cegos.

Implantes cocleares são dispositivos que podem restaurar parcialmente a audição em pacientes com perda auditiva, um problema que afeta aproximadamente 5% das pessoas em todo o mundo.

A estimulação auditiva baseada em luz permite a emissão de sinais mais precisos e localizados para os nervos auditivos, em comparação com os implantes atuais baseados em eletricidade, que geralmente sofrem com a baixa qualidade do som.

A tecnologia também oferece algumas melhorias em relação aos implantes ópticos experimentais anteriores, indicando um caminho para aumentar a viabilidade clínica dos implantes cocleares no tratamento da deficiência auditiva.

Implante coclear com luz

A maioria dos implantes cocleares reproduz o som através do uso de eletrodos metálicos que transmitem eletricidade, mas a estimulação elétrica resultante não é muito específica e tende a se espalhar por uma grande área de nervos, levando a sons menos detalhados e a uma audição de baixa qualidade.

Por isso, Daniel Keppeler e seus colegas da Universidade Centro Médico de Gottingen (Alemanha) resolveram apostar na luz, criando implantes cocleares ópticos, o que permitiu estimular neurônios sensíveis ao som após modificar geneticamente esses neurônios para que eles se tornassem sensíveis à luz.

Ao contrário de outros implantes, o dispositivo sem fio usa vários canais de estimulação, usando LEDs azuis para ativar os neurônios modificados dentro da cóclea. Outro benefício é que os LEDs gastam menos bateria do que os implantes elétricos atuais.

Os testes confirmaram que o aparelho gera sinais mais seletivos do que os modelos anteriores quando implantado em ratos e gerbos ensurdecidos: Os animais navegaram com sucesso em testes comportamentais baseados em som ao longo de várias semanas.

A equipe ressalta que ainda é necessário bastante trabalho para lidar com o grande tamanho e a ampla difusão de luz do dispositivo, antes que ele possa ser testado em estudos clínicos em humanos.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Multichannel optogenetic stimulation of the auditory pathway using microfabricated LED cochlear implants in rodents
Autores: Daniel Keppeler, Michael Schwaerzle, Tamas Harczos, Lukasz Jablonski, Alexander Dieter, Bettina Wolf, Suleman Ayub, Christian Vogl, Christian Wrobel, Gerhard Hoch, Khaled Abdellatif, Marcus Jeschke, Vladan Rankovic, Oliver Paul, Patrick Ruther, Tobias Moser
Publicação: Science Translational Medicine
DOI: 10.1126/scitranslmed.abb8086
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Audição

Implantes

Fotônica

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.