23/08/2018

Inteligência artificial não conseguirá imitar intuição dos médicos

Redação do Diário da Saúde
Inteligência artificial não conseguirá imita intuição dos médicos
A intuição dos médicos desempenha um papel ainda mais importante nos momentos mais críticos, assim que o paciente é internado e não há muitos dados disponíveis.
[Imagem: Chelsea Turner/MIT]

Intuição médica

Pacientes com perfis médicos similares recebem tratamentos diferentes baseados na "intuição" dos médicos.

Este dado fundamental coloca em questão um grande esforço que tem sido feito por empresas de tecnologia e universidades para desenvolver sistemas de inteligência artificial que possam analisar dados médicos para ajudar a diagnosticar ou tratar problemas de saúde.

O que esses esforços parecem deixar de lado é o fato de que a Medicina, e sobretudo o exercício da Medicina, não são partes de uma ciência exata. Em outras palavras, esse tipo de tecnologia provavelmente não funcionará tão bem quanto um médico humano.

Um novo estudo feito por cientistas da computação do MIT (EUA) de fato sugere que os médicos fornecem uma dimensão que, até agora, a inteligência artificial não oferece.

Ao analisar os registros escritos pelos médicos sobre pacientes em unidades de terapia intensiva, os pesquisadores descobriram que a "intuição" dos médicos - eles chamam de "sentimentos instintivos" - sobre a condição de um paciente em particular tem um papel significativo na forma como o tratamento foi conduzido, incluindo os exames solicitados.

"Há algo sobre a experiência de um médico, e seus anos de treinamento e prática, que permite que ele saiba em um sentido mais abrangente, além da lista de sintomas, se você está indo bem ou não. Eles estão tocando em algo que a máquina não consegue ver," afirmam Tuka Alhanai e Mohammad Ghassemi, que lideraram a pesquisa.

Essa intuição dos médicos desempenha um papel ainda mais importante durante o primeiro ou segundo dia de internação de um paciente, quando a quantidade de dados que os médicos têm sobre os pacientes é menor do que nos dias subsequentes.

Como medir sentimentos

Os médicos consideram um grande número de fatores - incluindo sintomas, gravidade da doença, histórico familiar e hábitos de vida - ao decidir que tipos de exames devem ser solicitados para seus pacientes. Mas os "sentimentos instintivos" de um médico sobre um paciente também desempenham um papel importante na tomada de decisão.

"Esse sentimento é provavelmente fundamentado em uma história de experiência que os médicos têm," disse Ghassemi. "É como quando eu era criança, minha mãe podia apenas olhar para mim e dizer que eu tinha feito algo errado. Isso não é por causa de algo místico, mas porque ela tinha muita experiência em lidar comigo e, quando eu tinha feito algo errado, um simples olhar bastava para que ela soubesse".

"A questão é, você pode fazer a máquina fazer algo assim? Seria muito interessante ensinar a máquina a aproximar o que o médico codifica no seu sentimento usando dados que hoje não são capturados pelos sistemas eletrônicos de saúde, como a fala do médico," concluiu Alhanai.

Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Intuição

Softwares

Ética

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2020 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.