04/11/2020

Medicamentos para HIV terão novas regras; Riscos para grávidas preocupam

Redação do Diário da Saúde

Dolutegravir e efavirenz

Novas descobertas deverão mudar as recomendações internacionais de tratamento para pessoas recém-diagnosticadas com HIV - uma atualização que pode afetar quase dois milhões de pessoas por ano em todo o mundo.

"As pesquisas que embasam as diretrizes da OMS de 2016 sugeriram que o dolutegravir foi eficaz e bem tolerado, mas sua eficácia e segurança entre as populações-chave, como mulheres grávidas e pessoas que vivem com HIV e tuberculose (TB), permaneceram obscuras. Em 2018, uma nova pesquisa alertou sobre um aumento potencialmente sério no risco de defeitos do tubo neural em filhos de mulheres que engravidaram durante o tratamento," contextualizou o professor Steve Kanters, da Universidade da Colúmbia Britânica (Canadá).

O risco de reação adversa significa que, embora o dolutegravir tenha sido considerado favorável em comparação com outras opções, ele foi recomendado apenas como uma alternativa, com um antirretroviral denominado efavirenz recomendado como tratamento primário.

Agora, Kanters e seus colegas concluíram uma meta-análise - uma reavaliação de estudos científicos publicados sobre o assunto - de 68 ensaios clínicos de terapia antirretroviral feitos desde a publicação das diretrizes da OMS.

Eles constataram que o dolutegravir foi superior ao efavirenz na maioria dos resultados, incluindo supressão viral, tolerabilidade e segurança. De acordo com Kanters, o aumento das chances de supressão viral com dolutegravir pode ter um impacto significativo no cumprimento das metas internacionais para o tratamento do HIV.

"Descobrimos um aumento de cerca de cinco por cento na probabilidade de supressão viral, o que significa que mais pessoas que começam o tratamento serão capazes de controlar com sucesso o seu HIV," disse ele.

Outro atributo importante do dolutegravir é que ele é eficaz em pessoas que são resistentes aos antirretrovirais da classe dos NNRTI, como o efavirenz, um problema que está se tornando cada vez mais comum.

Risco para mulheres grávidas

A análise também mostrou que o dolutegravir e o efavirenz tiveram taxas semelhantes de eventos adversos para mulheres grávidas - o risco aumentado de defeitos do tubo neural para o dolutegravir foi estimado em menos de 0,3 por cento.

"As novas evidências sobre defeitos do tubo neural mostram que o risco com o dolutegravir é muito mais tolerável do que se pensava anteriormente e deve acabar com a preocupação inicial com esta droga," defendeu Kanters.

O estudo foi encomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como parte de uma atualização planejada de suas diretrizes para o tratamento antirretroviral do HIV.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Comparative efficacy, tolerability and safety of dolutegravir and efavirenz 400mg among antiretroviral therapies for first-line HIV treatment: A systematic literature review and network meta-analysis
Autores: Steve Kanters, Marco Vitoria, Michael Zoratti, Meg Doherty, Martina Penazzato, Ajay Rangaraj, Nathan Ford, Kristian Thorlund, Prof. Aslam H. Anis, Mohammad Ehsanul Karim, Lynne Mofenson, Rebecca Zash, Alexandra Calmy, Tamara Kredo, Nick Bansbac
Publicação: EClinical Medicine
DOI: 10.1016/j.eclinm.2020.100573
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Medicamentos

Gravidez

Vírus

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2020 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.