29/06/2022

Nanossensor detecta pesticidas na casca de frutas

Redação do Diário da Saúde
Nanossensor detecta pesticidas na casca de frutas
A deposição de nanopartículas foi usada para produzir nanossensores que podem detectar resíduos de pesticidas na superfície de frutas em poucos minutos.
[Imagem: Haipeng Li/Georgios A Sotiriou]

Sensor de pesticida

Pesquisadores suecos desenvolveram um pequeno sensor que detecta pesticidas e agrotóxicos em frutas, dando o resultado em apenas alguns minutos.

A técnica usa nanopartículas de prata pulverizadas para aumentar o sinal emitido pelos compostos químicos perigosos. Embora ainda estejam em estágio inicial de desenvolvimento, os pesquisadores afirmam que esses nanossensores poderão ajudar a descobrir pesticidas alimentares antes da compra.

"Relatórios mostram que até metade de todas as frutas vendidas contêm resíduos de pesticidas que, em maior quantidade, estão ligados a problemas de saúde humana," disse o professor Georgios Sotiriou, do Instituto Karolinska. "No entanto, as técnicas atuais para detectar pesticidas em produtos individuais antes do consumo são restritas na prática pelo alto custo e pela fabricação complicada de seus sensores".

"Para superar isso, desenvolvemos nanossensores baratos e reprodutíveis que podem ser usados para monitorar vestígios de pesticidas de frutas, por exemplo, no supermercado," acrescentou.

Pesticidas nas frutas

Embora estes nanossensores representem o estado da arte em termos de nanotecnologia, eles se baseiam em uma descoberta da década de 1970, conhecida como SERS (sigla em inglês para espalhamento Raman aprimorado pela superfície), uma poderosa técnica de detecção que pode aumentar os sinais de diagnóstico de biomoléculas em mais de 1 milhão de vezes.

Os pesquisadores criaram um nanossensor SERS usando pulverização a quente - uma técnica bem estabelecida e econômica para depositar um revestimento metálico - para inserir pequenas gotas de nanopartículas de prata em uma superfície de vidro, formando o sensor.

Os sensores detectaram de forma confiável e uniforme os sinais moleculares e seu desempenho permaneceu intacto quando testados novamente após 2,5 meses, o que ressalta seu potencial de vida útil e viabilidade para produção em larga escala, de acordo com os pesquisadores.

"Nossos sensores podem detectar resíduos de pesticidas em superfícies de maçã em um curto período de cinco minutos sem destruir a fruta", exemplificou o pesquisador Haipeng Li. "Embora eles precisem ser validados em estudos maiores, oferecemos uma aplicação prática de prova de conceito para testes de segurança alimentar em escala antes do consumo."

Checagem com artigo científico:

Artigo: SERS Hotspot Engineering by Aerosol Self-Assembly of Plasmonic Ag Nanoaggregates with Tunable Interparticle Distance
Autores: Haipeng Li, Padryk Merkl, Jens Sommertune, Thomas Thersleff, Georgios A. Sotiriou
Publicação: Advanced Science
DOI: 10.1002/advs.202201133
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Sensores

Alimentação e Nutrição

Contaminação

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2022 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.