Oxímetro flexível mede oxigênio no sangue em qualquer parte do corpo

Oxímetro flexível mede oxigênio no sangue em qualquer parte do corpo
O oxímetro flexível amolda-se a qualquer parte do corpo.
[Imagem: Yasser Khan/UC Berkeley]

Reinvenção do oxímetro

Lesões não podem se curar sem um influxo constante de um ingrediente-chave do sangue - o oxigênio.

Um sensor flexível desenvolvido por engenheiros da Universidade da Califórnia (EUA) mostrou-se capaz de mapear os níveis de oxigênio no sangue em grandes áreas da pele, tecidos e órgãos, dando aos médicos uma nova maneira de monitorar a cicatrização de ferimentos e cortes e cicatrizes cirúrgicas em tempo real.

Mais do que isso, o aparelho é uma reinvenção do oxímetro.

"Quando você ouve a palavra oxímetro, o nome dos sensores de oxigênio no sangue, logo se lembra dos sensores de clipe rígidos e volumosos colocados nos dedos. Queríamos romper com isso e mostrar que os oxímetros podem ser leves, finos e flexíveis," disse o professor Yasser Khan.

O sensor é feito de componentes de eletrônica orgânica - circuitos eletrônicos feitos de plástico - impressos em material flexível, o que permite que o aparelho molde-se aos contornos do corpo. Ao contrário dos oxímetros de ponta do dedo, ele pode detectar níveis de oxigênio no sangue em nove pontos simultaneamente, utilizando uma grade que pode ser colocada em qualquer lugar da pele.

A expectativa é que o aparelho seja usado para mapear a oxigenação de enxertos de pele ou para examinar a pele para monitorar os níveis de oxigênio em órgãos transplantados, dizem os pesquisadores.

"Todas as aplicações médicas que usam monitoramento de oxigênio podem se beneficiar de um sensor de vestir," disse a pesquisadora brasileira Ana Cláudia Arias, formada pela Universidade Federal do Paraná e atualmente professora na Universidade de Berkeley. "Pacientes com diabetes, doenças respiratórias e até apneia do sono podem usar um sensor que pode ser colocado em qualquer lugar para monitorar os níveis de oxigênio no sangue 24 horas por dia, sete dias por semana."

Como funciona um oxímetro?

Os oxímetros usam diodos emissores de luz (LEDs) para lançar luz vermelha e infravermelha próxima através da pele. Um fotodetector do outro lado do clipe detecta quanta luz chega ao outro lado do dedo.

O sangue vermelho, rico em oxigênio, absorve mais luz infravermelha, enquanto o sangue mais escuro e pobre em oxigênio absorve mais luz vermelha. Observando a proporção de cada frequência da luz transmitida é possível determinar quanto oxigênio há no sangue em tempo real.

Esses oxímetros só funcionam em áreas do corpo que são parcialmente transparentes, como as pontas dos dedos ou os lóbulos da orelha, e só conseguem medir os níveis de oxigênio no sangue em um único ponto do corpo de cada vez.

A nova tecnologia de oxímetro flexível mede a oxigenação nos tecidos usando não apenas a luz transmitida através do corpo, mas também a luz refletida. A combinação das duas tecnologias permite detectar os níveis de oxigênio no sangue em qualquer parte do corpo.


Ver mais notícias sobre os temas:

Equipamentos Médicos

Sensores

Sistema Circulatório

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2018 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.