Por que estes cânceres afetam apenas mulheres jovens?

Por que estes cânceres afetam apenas mulheres jovens?
Migração das células-tronco no embrião humano - erros podem gerar um câncer 30 anos mais tarde, tipicamente nas mulheres.
[Imagem: Laurence Zulianello]

Cisto mucinoso

Entre várias formas de câncer do pâncreas, uma delas afeta especificamente as mulheres, e geralmente as mulheres mais jovens.

Esse câncer pancreático, conhecido como "cisto mucinoso", tem estranhas semelhanças com outro câncer mucinoso, que afeta os ovários.

Como isso é possível, já que o pâncreas é um órgão com pouca exposição aos hormônios sexuais?

Uma resposta para esta pergunta acaba de ser dada por pesquisadores da Universidade de Genebra e do Hospital Universitário de Genebra (Suíça), que trabalharam em colaboração com colegas dos Estados Unidos.

Ocorre que ambos os tumores se originam de células germinativas embrionárias.

Enquanto ainda indiferenciadas, no processo de formação do feto, essas células-tronco migram para os órgãos reprodutivos. No caminho, algumas podem erradamente ir parar em outros órgãos, trazendo um risco de que um tumor surja cerca de 30 anos mais tarde.

Os resultados foram claros: em ambos os casos, o perfil transcriptômico do tumor mucinoso está longe do suposto tecido de origem (ovário ou pâncreas), mas muito próximo das células germinativas primordiais. Isso sugere que esses tumores estão mais próximos das células-tronco primordiais do que das células do órgão em que se desenvolveram.

"Nós encontramos as mesmas mutações genéticas, os mesmos tipos de vítimas - mulheres jovens, muitas vezes fumantes - e, ainda mais surpreendentemente, tecido ovariano nos cistos pancreáticos," disse a Dra Intidhar Galy, coordenadora da pesquisa.

Tumor mucinoso

Os tumores mucinosos do ovário e pâncreas afetam mulheres jovens - entre 30 e 40 anos de idade. Eles tomam a forma de um grande cisto com um interior líquido. Raros - eles representam cerca de 3% dos cânceres de ovário e pâncreas - geralmente são tratados por cirurgia.

Descoberto a tempo, o cisto canceroso é completamente removido. No entanto, em cerca de 15% dos casos, o cisto se rompe antes da cirurgia, fazendo com que as células cancerígenas se espalhem no peritônio, dando origem a metástases altamente resistentes à quimioterapia. Em tais casos, o prognóstico de sobrevida das pacientes não excede um ano.

Ao permitir uma melhor classificação desses tumores mucinosos, esta descoberta abre caminho para um gerenciamento mais adequado e personalizado, alinhado com a origem do tumor.

"Nossos resultados não vão alterar o tratamento cirúrgico dessas pacientes, mas podem nos levar a refletir sobre protocolos de quimioterapia. Esses tumores raros são um pouco como órfãos do câncer, para as quais não há tratamentos padrão. Ao associá-los a outros tipos de câncer, esperamos identificar tratamentos que possam ser eficazes. Para cada mutação, qual é o melhor tratamento? Aqui estamos no coração da oncologia personalizada: conhecer seu inimigo em todos os detalhes facilita a luta contra ele," disse a Dra Galy.


Ver mais notícias sobre os temas:

Câncer

Saúde da Mulher

Gravidez

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2018 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.