SUS incorpora novos tratamentos para doenças raras

Atualização

A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias aprovou novas opções de cuidado para quem sofre de doenças raras no Brasil.

Os portadores de Mucopolissacaridoses tipo I e II vão contar com duas novas opções de medicamento: a laronidase e a idursulfase alfa.

Para quem sofre de Deficiência de Biotinidase, a novidade é a aprovação de protocolos que orientam a assistência na rede pública.

Os protocolos para a Síndrome de Turner e a Hepatite Autoimune também foram atualizados.

Os tratamentos deverão ser disponibilizados em unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) a partir do segundo semestre de 2018.

Doenças Raras

Os chamados Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas funcionam como documentos oficiais que estabelecem critérios para diagnóstico, tratamento preconizado, incluindo medicamentos e demais tecnologias, posologias recomendadas, cuidados com a segurança dos doentes, mecanismos de controle clínico e acompanhamento e verificação de resultados terapêuticos.

A Organização Mundial da Saúde estabelece que uma doença é considerada rara quando atinge menos de 5 pessoas em cada 10.000. Existem entre 5.000 e 8.000 doenças raras catalogadas.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde Pública

Tratamentos

Genética

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2018 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.