10/01/2022

Terapia com luz pode substituir motorzinho contra cárie dentária

Com informações da Agência Fapesp
Terapia com luz pode substituir motorzinho contra cárie dentária
Biofilme cariogênico não tratado, mostrando um aglomerado de diferentes tipos de microrganismos recobrindo totalmente a dentina.
[Imagem: Juliana Campos Junqueira]

Terapia de luz contra cáries

A terapia fotodinâmica, na qual o medicamento é aplicado no corpo e depois ativado pela aplicação de uma fonte de luz, já é amplamente usada no tratamento de vários tipos de câncer.

Agora, pesquisadores brasileiros descobriram que também é possível usar esse tratamento de luz contra a cárie dentária.

A técnica teve efeitos antimicrobianos, inibindo a atividade da placa bacteriana (biofilme) com vários tipos de microrganismos cariogênicos, entre eles o Streptococcus mutans, um dos mais comuns.

Rafael Araújo Ward e Nathália Ferreira Gonçalves, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em São José dos Campos, descobriram que, para isso, basta usar o fotossensibilizador clorina e-6 (Fotoenticine), já comercializado no Brasil, e depois iluminar o dente usando um LED especial.

Os testes foram feitos em amostras de tecidos de dentes (dentina) contaminados por cárie de diferentes pacientes - os biofilmes apresentavam variações na composição microbiana de um paciente para o outro.

A terapia fotodinâmica conseguiu desagregar a placa bacteriana, reduzindo a concentração de ácido que ajuda a provocar a cárie, além de erradicar a bactéria Streptococcus mutans e reduzir os estreptococos, lactobacilos e leveduras.

Substituição do motorzinho do dentista

"A odontologia avançou muito nos últimos anos, mas até hoje a cárie ainda precisa ser tratada utilizando aparelhos rotatórios e brocas, que podem ser desconfortáveis para o paciente. A terapia fotodinâmica é um tratamento auxiliar. Em crianças, por exemplo, com lesões extensas de cárie, o uso de brocas pode gerar inquietação do paciente e levar à perda de estrutura do dente não afetado. Uma alternativa é fazer a remoção manual da cárie e usar a terapia fotodinâmica com clorina, possibilitando um tratamento rápido, sem dor e com maior preservação da estrutura do dente," disse a professora Juliana Campos Junqueira, coordenadora do trabalho.

Segundo a professora, a terapia fotodinâmica já é aplicada em clínicas de odontologia, mas o fotossensibilizador mais usado é o azul de metileno, que é um corante e, por isso, há uma concentração limite de uso para evitar manchar os dentes.

"Temos buscado outras opções de fotossensibilizadores, e a clorina e-6 mostrou bons resultados. Entre as vantagens estão o fato de não ser um corante, por isso não mancha, e poder usar a luz no comprimento de onda em torno de 650 a 660 nanômetros (nm), faixa obtida por equipamentos que os dentistas já contam nos consultórios," concluiu a pesquisadora.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Susceptibility of Dental Caries Microcosm Biofilms to Photodynamic Therapy Mediated by Fotoenticine
Autores: Maíra Terra Garcia, Rafael Araújo da Costa Ward, Nathália Maria Ferreira Gonçalves, Lara Luise Castro Pedroso, José Vieira da Silva Neto, Juliana Ferreira Strixino, Juliana Campos Junqueira
Publicação: Pharmaceutics
DOI: 10.3390/pharmaceutics13111907
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde Bucal

Fotônica

Tratamentos

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2022 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.