01/12/2020

Teste de covid-19 pela saliva já está disponível

Com informações da Agência Fapesp
Teste de covid-19 pela saliva já está disponível
Desenvolvido no Centro de Pesquisa sobre o Genoma Humano e Células-Tronco, exame poderá ser feito inicialmente por moradores da capital paulista e será pago.
[Imagem: CEGH-CEL/divulgação]

Teste de covid pela saliva

Um teste capaz de diagnosticar a covid-19 pela saliva, desenvolvido por pesquisadores da USP (Universidade de São Paulo) já está disponível à população a parte desta terça-feira (01/12).

O exame poderá ser feito inicialmente por moradores da capital paulista ao custo de R$ 90, para quem for à USP para a coleta da amostra de saliva, ou de R$ 150, para quem optar por fazer a autocoleta e enviar a amostra para análise por um serviço de retirada e entrega disponibilizado pelo centro.

Para solicitar o teste é preciso fazer um cadastro no link disponível no site do Centro de Pesquisa sobre o Genoma Humano e Células-Tronco (veja abaixo).

"Inicialmente realizaremos no máximo 90 testes por dia [por ordem de cadastro, cujos resultados serão disponibilizados em até 24 horas," disse a pesquisadora Maria Rita Bueno, coordenadora do projeto.

O método é uma alternativa ao exame de RT-PCR, considerado o padrão-ouro para detectar o novo coronavírus durante a fase aguda da infecção, e similar aos já desenvolvidos no Brasil e em outros países com o objetivo de aumentar a disponibilidade e a rapidez e diminuir os custos para realização de testes moleculares por meio de simplificações dos processos.

Exame molecular

O teste é baseado em uma técnica molecular amplamente utilizada para o diagnóstico de doenças infecciosas, como dengue, chikungunya, hepatite A e zika, chamada RT-LAMP (sigla em inglês de transcrição reversa seguida por amplificação isotérmica mediada por alça).

A técnica molecular tem algumas semelhanças com o método RT-PCR, que utiliza como amostras para realização dos testes secreções do fundo da garganta e do nariz. Em ambas as técnicas são induzidas reações para a realização de uma fase de transcrição reversa (RT), na qual o RNA do vírus é transformado em DNA, e uma fase de amplificação, em que regiões específicas do vírus são replicadas milhões de vezes para que o patógeno possa ser identificado.

Porém, o teste RT-LAMP desenvolvido na USP não requer a extração do RNA do vírus para ser detectado, o que é feito no RT-PCR por meio de reagentes importados, que são caros e frequentemente escassos no mercado, dependendo da demanda.

A eliminação da etapa de extração do RNA pelo teste de RT-LAMP é possível pelo rompimento do capsídeo do vírus por aquecimento e adição de uma solução desenvolvida pelos pesquisadores do CEGH-CEL, que estabiliza o vírus para os processos de conversão do RNA viral em DNA e para a amplificação do material genético do vírus para facilitar a detecção dele na saliva.

Como fazer o teste

Os interessados em realizar o teste devem se cadastrar pelo site www.genomacovid19.ib.usp.br. No formulário será possível escolher entre fazer a coleta presencial no CEGH-CEL (situado na rua do Matão, travessa 13, no. 06, Cidade Universitária, Butantã) ou a autocoleta. As informações sobre a data e o horário disponíveis serão enviadas para o e-mail cadastrado.

Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Exames

Genética

Prevenção

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.