20/07/2021

Descoberta fonte da memória notável dos superidosos

Redação do Diário da Saúde
Descoberta fonte da memória notável dos
Outra equipe desvendou recentemente como a imaginação e a realidade fluem no cérebro, algo que também envolve o córtex visual.
[Imagem: Nick Berard]

Superidosos

À medida que envelhecemos, nossos cérebros normalmente passam por um lento processo de atrofia, enfraquecendo a comunicação entre as várias regiões neurais, o que eventualmente leva ao declínio da memória e de outras funções cognitivas.

Mas um grupo raro de indivíduos mais velhos, chamados pelos cientistas de "superidosos", demonstrou a mesma capacidade de aprender e lembrar informações novas que um jovem de 25 anos.

Pesquisadores do Hospital Geral de Massachusetts (EUA) identificaram agora a atividade cerebral que está por trás da ótima memória desses superidosos.

"Usando a ressonância magnética, descobrimos que a estrutura dos cérebros dos superidosos e a conectividade de suas redes neurais se assemelham mais aos cérebros de adultos jovens; os superidosos evitaram a atrofia cerebral normalmente observada em adultos mais velhos," contou a professora Alexandra Touroutoglou, referindo-se ao trabalho anterior da equipe.

Capacidade seletiva

Agora, eles usaram imagens de ressonância magnética funcional (fMRI), que, ao contrário da ressonância magnética comum, mostra a atividade de diferentes áreas do cérebro durante a realização de tarefas, e não apenas imagens estáticas.

A equipe descobriu que os neurônios no córtex visual do cérebro dos adultos mais velhos que continuam "super" apesar do envelhecimento retêm sua capacidade seletiva e eficiente de processar estímulos visuais e criar uma memória distinta das imagens.

"Os superidosos mantiveram o mesmo alto nível de diferenciação neural, ou seletividade, que um adulto jovem," acrescentou a pesquisadora Yuta Katsumi. "Seus cérebros lhes permitiram criar representações distintas das diferentes categorias de informação visual para que pudessem lembrar com precisão os pares imagem-palavra."

Intervenções

Estudos anteriores demonstraram que o treinamento pode aumentar a seletividade das regiões do cérebro, o que pode ser uma intervenção potencial para atrasar ou prevenir o declínio da diferenciação neural em adultos que envelhecem normalmente e tornar seus cérebros mais parecidos com os dos superidosos.

Em um esforço desse tipo, a equipe está conduzindo um ensaio clínico para avaliar se a estimulação eletromagnética não invasiva, que aplica uma corrente elétrica para áreas específicas do cérebro, pode melhorar a memória dos adultos mais velhos.

Os pesquisadores também planejam estudar diferentes regiões do cérebro para entender melhor como os superidosos aprendem e se lembram, e examinarão o estilo de vida e outros fatores que podem contribuir para a incrível memória dos superidosos.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Greater Neural Differentiation in the Ventral Visual Cortex Is Associated with Youthful Memory in Superaging
Autores: Yuta Katsumi, Joseph M Andreano, Lisa Feldman Barrett, Bradford C Dickerson, Alexandra Touroutoglou
Publicação: Cerebral Cortex
Vol.: bhab157
DOI: 10.1093/cercor/bhab157
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Memória

Mente

Cérebro

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.