Mesas senta-levanta não beneficiam trabalhadores como se esperava

Mesas senta-levanta ainda não beneficiam trabalhadores como se esperava
"Acho que o uso adequado diferirá de pessoa para pessoa, e à medida que coletamos mais pesquisas, poderemos sugerir melhor dosagem para uma variedade de trabalhadores," disse a pesquisadora April Chambers.
[Imagem: Swanson School of Engineering]

Trabalhar de pé ou sentado?

Sente-se. Não, espere! Fique de pé.

Você vai se sentir mais ou menos assim se tentar seguir as instruções dos especialistas sobre como combater o sedentarismo trabalhando em um ambiente de escritório.

Com alguns desses especialistas sugerindo que "sentar é o novo tabagismo" e com outros gritando "Trabalhadores do mundo, levantem-se", nasceu toda uma indústria de mesas de apoio, que permitem alternar entre o trabalho sentado e o trabalho de pé.

Mas tem havido opiniões conflitantes sobre a eficácia desse tipo de mobiliário.

Por isso, pesquisadores das universidades de Pittsburgh e Tufts (EUA) reuniram dados de 53 estudos realizados em todo o mundo sobre o assunto e fizeram uma revisão dos métodos e resultados, detalhando informações atuais sobre os benefícios dos mobiliários senta-levanta.

Móveis senta-levanta

A equipe examinou os efeitos de uma mesa de sentar-ficar de pé nos seguintes domínios: comportamento, fisiologia, desempenho no trabalho, desconforto psicológico e postura.

"O estudo encontrou apenas impactos mínimos em qualquer uma dessas áreas, sendo as mais fortes mudanças de comportamento e desconforto," disse a professora Nancy Baker, que realizou o estudo com seus colegas Michelle Robertson e April Chambers.

Como esperado, a disponibilidade de mobiliário senta-levanta fez com que os participantes sentassem menos e ficassem mais de pé e o mobiliário deixou os usuários mais à vontade no trabalho.

No entanto, houve muitas frustrações quanto aos resultados fisiológicos. Os primeiros adeptos dessa linha ergonômica receberam promessas até de uma cura milagrosa para a obesidade, mas os usuários não alcançaram os resultados esperados. De acordo com a revisão, os efeitos fisiológicos foram os mais estudados, mas dentro desse domínio, não houve resultados significativos em relação à perda de peso.

"Existem conceitos ergonômicos básicos que parecem estar sendo negligenciados," disse Chambers. "Muitos trabalhadores recebem mesas de apoio senta-levanta e começam a usá-las sem direção. Acho que o uso adequado diferirá de pessoa para pessoa, e à medida que coletamos mais pesquisas, poderemos sugerir uma melhor dosagem para uma variedade de trabalhadores."

Analisar trabalhadores reais

Houve também muitas considerações sobre como usar com mais eficiência as mesas senta-levanta, como a altura da mesa, a altura do monitor, a quantidade de tempo em pé ou o uso de um tapete anti-fadiga. Chambers acredita que a configuração e a dosagem no local de trabalho são dois fatores que devem ser mais estudados.

Além disso, muitos estudos foram feitos com indivíduos jovens e saudáveis que usaram a mesa por uma semana ou um mês no máximo. Como alguns dos benefícios significativos são a saúde cardiovascular ou o desconforto muscular, pode ser benéfico realizar estudos adicionais com trabalhadores de meia-idade ou com excesso de peso, afirmam os pesquisadores.


Ver mais notícias sobre os temas:

Ergonomia

Trabalho e Emprego

Atividades Físicas

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2018 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.