13/07/2021

Pesquisa revela o que leva as pessoas a trolarem na internet

Redação do Diário da Saúde
Pesquisa revela o que leva as pessoas a trolarem na internet
Além de não apresentarem empatia, as pessoas que trolam na internet têm prazer ao ver os outros se darem mal.
[Imagem: BYU Photo]

Personalidade de um troll

À medida que cresceu o uso das mídias sociais e outros sites de relacionamento, cresceu também a trolagem (do inglês trolling), uma prática da internet na qual os usuários procuram intencionalmente atrair outras pessoas para conversas inúteis e, às vezes, rudes.

Isso atraiu a atenção de psicólogos e pesquisadores das ciências humanas, que querem entender os motivos e as características de personalidade desses trolls da internet.

Uma pesquisa online preenchida por mais de 400 usuários do site Reddit mostra que os indivíduos mais propensos a demonstrar comportamentos de trolagem são aqueles com traços de personalidade da tríade sombria combinados com schadenfreude.

A tríade sombria consiste na ocorrência de narcisismo, maquiavelismo e psicopatia. Já schadenfreude (pronuncia-se chadenfroid) é uma palavra alemã que significa que alguém obtém prazer com o infortúnio do outro.

"As pessoas que apresentam aquelas características conhecidas como tríade sombria são mais propensas a demonstrar comportamentos de trolagem se obtiverem prazer ao observar passivamente o sofrimento dos outros," disse a Dra. Pamela Brubaker, da Universidade Brigham Young (EUA). "Elas se envolvem em trolagem às custas dos outros."

Empatia zero

A pesquisa mostra que os indivíduos que experimentam prazer com as falhas ou deficiências dos outros consideraram o trolling um comportamento aceitável na internet.

As mulheres que participaram da pesquisa viram a trolagem online como disfuncional, enquanto os homens se mostraram mais propensos a considerá-lo funcional.

Os pesquisadores afirmam que é importante observar que as pessoas que possuem schadenfreude geralmente consideram o trolling uma forma de comunicação que enriquece, e não que impeça a discussão online. Por causa dessa forma de ver as coisas, elas não estão preocupadas em como suas palavras ou ações afetam as pessoas do outro lado da tela. Para elas, o trolling não é visto como destrutivo, mas apenas como um meio de diálogo.

"Elas estão mais preocupadas em aprimorar sua própria experiência online, em vez de criar uma experiência online positiva para pessoas que não obtêm o mesmo tipo de prazer ou diversão nessas discussões provocativas," disse Brubaker.

Discussões online civilizadas

No entanto, os pesquisadores afirmam que ainda há esperança para se chegar a discussões online produtivas.

O estudo não encontrou correlação entre ser franco online e o comportamento de trolagem. Os resultados destacam que os usuários que expressam ativamente suas opiniões online não necessariamente se envolvem em comportamentos de trolagem. Esses resultados são encorajadores e sugerem que o discurso civil online é alcançável.

"Lembre-se de quem você é quando estiver online", aconselha Church. "Ajuda quando pensamos nos outros online como humanos, pessoas com famílias e amigos como você e eu, pessoas que sentem profundamente e às vezes sofrem. Quando esquecemos suas identidades como pessoas reais, vendo-as como meros nomes de usuário ou avatares, isso torna mais fácil se envolver em trolagem."

Checagem com artigo científico:

Artigo: The Power of Schadenfreude: Predicting Behaviors and Perceptions of Trolling Among Reddit Users
Autores: Pamela Jo Brubaker, Daniel Montez, Scott Haden Church
Publicação: Social Media + Society
DOI: 10.1177/20563051211021382
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Comportamento

Relacionamentos

Sentimentos

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.